Torcedores – Notícias Esportivas

Agora na TV, Denilson admite que é chamado de “traíra” por são-paulinos

Vida de ex-jogador de futebol, principalmente os que fizeram história em grandes clubes e acabaram jogando em um rival, não é fácil. O ex-atacante Denilson, comentarista da Band, admitiu, em entrevista exclusiva para o Torcedores.com, que até hoje é chamado de ‘traíra’ por são-paulinos, por ter ido jogar no Palmeiras, em 2008.

Thiago Jacintho
Tudo o que preciso é um papel e uma caneta. Apaixonado por esportes desde 1900 e bolinha: de futebol, basquete, tênis, rugby...

Crédito: Foto: Rafael Alaby/Torcedores.com

LEIA MAIS:
Denilson relembra ameaça de Adriano Imperador: “se ele me pegar, me mata”

Na época, o ex-jogador, que voltava ao Brasil depois de dez anos no exterior, gostaria de jogar no São Paulo, clube que o revelou para o futebol, mas não conseguiu um contrato e foi, segundo ele, impedido até de usar a estrutura do clube para aprimorar a forma física, enquanto estava procurando uma oportunidade, pelo ex-dirigente João Paulo de Jesus Lopes.

“Era eu sair na rua, no meu dia-a-dia, e os são-paulinos vinham me chamar de ‘Judas’, criticando eu ter ido para o Palmeiras. Não dava para explicar para cada torcedor o que tinha acontecido. Só depois, em uma entrevista que dei para o Fernando Fernandes (jornalista, também da Band), foi que melhorou a situação”, contou Denilson.

O ex-tricolor admite que a negativa do São Paulo em contar com seu futebol na época o chateou muito, fazendo-o criar até uma certa rejeição pelo clube. O grande anseio dele era vivenciar a mesma festa que fizeram para Raí, quando ele voltou do PSG, para o Tricolor, em 1998, justamente o ano em que foi para o Real Betis-ESP.

Sem a possibilidade de voltar a defender seu clube do coração e com portas abertas no rival alviverde, Denilson assume que hoje torce também pelo Palmeiras. “Hoje, quando as pessoas perguntam o time que torço, eu falo do São Paulo, pelo respeito, porque nasci lá, cresci lá, morei lá, mas torço também para o Palmeiras, porque o Palmeiras abriu as portas para mim, em um momento em que ninguém acreditava em mim”, revelou.

“Eu vivi, sei lá, quase um ano sendo esculachado pelos são-paulinos na rua, em qualquer lugar que eu estava, por causa de um comportamento negativo de um dirigente. Ainda hoje eu escuto algumas coisas, dizendo que foi trairagem, que eu fui ‘traíra’, que sou palmeirense e não são-paulino, mas já melhorou bastante”, comentou.

Depois do Palmeiras, Denilson jogou no Itumbiara-GO e teve breves passagens pelo futebol vietnamita e grego, antes de se aposentar, em 2010. No São Paulo, jogou 110 partidas, em quatro anos, e conquistou três títulos, com 58 gols marcados, no total.

Foto: Rafael Alaby/Torcedores.com