O legado da Copa não poderia ter sido melhor para James Rodríguez

Dizer que a vida de James Rodríguez mudou depois da Copa de 2014 é chover no molhado. O que o jogador fez com a Colômbia, sendo o principal jogador, de uma equipe cheia de talentos e que levou o país às quartas-de-final, será lembrado por muitos anos. Mas, poucos sabem que a vida do jogador mudou também fora das quatro linhas. Principalmente no que concerne à conta bancária.

Thiago Jacintho
Tudo o que preciso é um papel e uma caneta. Apaixonado por esportes desde 1900 e bolinha: de futebol, basquete, tênis, rugby...

Crédito: Banner que ilustra o perfil de James Rodríguez no Facebook, durante a Copa América 2015. Foto: Reproducao

Antes de ir para a Copa, James pertencia ao Monaco-FRA. Depois dela, foi comprado pelo Real Madrid-ESP, atual campeão da Champions League na época, lar de estrelas do porte de Cristiano Ronaldo e Benzema, justamente para ser, assim como eles, uma estrela. O pensamento dos espanhóis era menos no que ele poderia ajudar em campo e, quase que totalmente, na contribuição fora de campo.

Logo de saída, a equipe da capital espanhola ficou com 50% dos direitos de imagem do jogador, para explorar em campanhas de marketing. A primeira delas, claro, na apresentação do meia. Sucesso absoluto: James Rodríguez conseguiu vender mais camisas que qualquer outro astro que passou pelo Real Madrid, nas primeiras 48 horas de clube. Desbancou caras como Figo, Zidane e Beckham. Sim, você leu certo: Beckham.

A consequência não poderia ser melhor para ele. Dali para frente, conseguiu seis patrocinadores, que prometeram enriquecê-lo em 8,5 milhões de euros até o fim da temporada: a marca de shampoo Clear, o supermercado Bimbo, o energético Pony Malta, o desodorante Rexona e o achocolatado Milo, da Nestlé, que não é vendido no Brasil. Neste 2015, firmou contrato com a marca de isotônicos Gatorade, e se tornou uma das estrelas da sua última propaganda, veiculada globalmene.

Além deles, o atleta conseguiu fortalecer ainda mais sua imagem com a Adidas, empresa de material esportivo, que viu nele um poderoso garoto-propaganda para fazer frente ao português Cristiano Ronaldo, seu companheiro de time, e principal nome da Nike, a grande concorrente da alemã.

Recentemente, inclusive, James Rodríguez e Adidas prolongaram o contrato que possuem, sem especificar valores, mas celebrando como um gol. O colombiano, claro, agradeceu em suas redes sociais a parceria, que será “duradoura”, de acordo com o que publicou a empresa na época.

Por falar em redes sociais, são nelas que James mostra que vale o quanto pesa, na prática. A fanpage oficial do jogador, no Facebook, possui mais de 26 milhões de curtidas. No Twitter, angaria atualmente quase 8 milhões de seguidores. No Instagram, sua conta atrai cerca de 10,5 milhões de seguidores.

Números expressivos, para quem, há pouco mais de um ano, era famoso só na Colômbia, e olhe lá. Uma Copa do Mundo muda vidas. E aumenta, muito, as cifras.

Foto: Reprodução / Facebook