Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

10 coisas que os torcedores rivais invejam no Palmeiras, mas não assumem

A rivalidade entre os clubes brasileiros é uma das mais acirradas do futebol mundial. O Palmeiras, por exemplo, é um dos clubes mais odiados do Brasil, seja por sua história centenária, ou por fatos irrefutáveis. Pensando nisso, o Torcedores.com reuniu 10 coisas que os torcedores rivais invejam no Verdão, mas não assumem.

Rogério Lagos
Colaborador do Torcedores.com e palmeirense.

Crédito: Cesar Greco / Ag. Palmeiras

LEIA MAIS
Mauro Beting desabafa sobre Valdivia: “Eu já amei e odiei você”
MasterChef no Allianz Parque: 5 pratos que são a cara do Palmeiras
No Palmeiras, Lucas critica Guerrero, jogo de manhã e polemiza sobre regra

1) Campeão Mundial de 1951 – “Naquela época, o Palmeiras foi o campeão do mundo de clubes”. De quem é essa frase? Simplesmente do presidente da FIFA, Joseph Blatter, em entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo”, em agosto de 2014. Dias depois, a entidade máxima do futebol divulgava um comunicado que oficializava a conquista palmeirense como “a primeira competição de abrangência mundial, que teve o Palmeiras como vencedor”.

2) Octa-campeão brasileiro – Em 2010, a CBF oficializou o que todos os palmeirenses já sabiam: o alviverde paulista era octa-campeão brasileiro. Segundo o orgão máximo do futebol nacional, os torneios Roberto Gomes Pedrosa e Taça Brasil, competições nacionais disputadas entre 1959 e 1970, passaram a valer como títulos brasileiros. O Palmeiras venceu a Taça Brasil em 1960 e 1967, além do “Robertão” também em 1967 e 1969. Além destas conquistas, o Verdão levantou o caneco nacional também em 1972, 1973, 1993 e 1994.

3) Time dos 100 gols – Esse marco da história alviverde também faz vários cotovelos doerem pelo Brasil. Com um verdadeiro esquadrão comandado por Vanderlei Luxemburgo, o Palmeiras ficou conhecido em 1996 como “o time dos 100 gols”, por ter colocado 102 bolas no fundo das redes em uma única edição do Campeonato Paulista daquele ano. Rivaldo, Djalminha, Luizão e Müller eram algumas das estrelas do elenco histórico.

4) Palmeiras foi Brasil! – Hoje em dia, com a seleção brasileira em baixa, muitos dizem que esse acontecimento não tem valor. Mas tal afirmação pode ser considerada inveja pura. Em 7 de setembro de 1965, como parte das festividades da inauguração do Mineirão, o Palmeiras representou o Brasil e venceu o Uruguai por 3-0 em um amistoso. O alviverde paulista foi o único time a representar a seleção brasileira por completo, para “delírio” dos rivais.

5) Campeão do Século XX – Os rivais possuem muitos títulos, mas nenhum deles consegue ultrapassar as conquistas palmeirenses do século passado. Campeão Mundial, Libertadores, Mercosul, oito Brasileiros, Copa do Brasil, 5 Torneios Rio-São Paulo, Copa dos Campeões, 21 Paulistas… Todas essas conquistas colocaram o Palmeiras como 1º lugar nos rankings de clubes de maior reputação na época, como da revista Placar, dos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo, da Federação Paulista de Futebol e da IFFHS – Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol. Para apenas empatar com o Verdão, os adversários terão de esperar, no mínimo, mais 86 anos, em 2101.

6) Parmalat – Essa foi uma das parcerias que todos os clubes sonhavam. Além de render um bom dinheiro ao time, a parceira era a responsável por contratar diversos craques para o Palmeiras, casos de Edmundo e Edílson, por exemplo, além do já citado “time dos 100 gols”, de 1996. Muitos falam que sem a Parmalat, o Verdão não seria nada. Mas o que não assumem é que todos gostariam de ter bebido um pouco desse leite.

7) Olêêêêê, Porcooo! – A mascote oficial do Palmeiras é o periquito, mas graças a uma zombaria dos rivais corintianos – ilustrada pela famigerada comemoração de Viola, no histórico clássico em 1993 – a torcida alviverde adotou o porco como alcunha extra-oficial. O amor pelo porco é tão grande, que os palmeirenses entoam gritos de incentivo das arquibancadas com o porco e o ilustram em desenhos ligados ao clube. Em 2015, o Palmeiras usou o animal como mascote de maneira oficial pela primeira vez, ao lançar o “porco inflável” de acesso aos jogadores entre vestiário e gramado do Allianz Parque.

8) São Marcos – Excelente goleiro e extremamente gente boa. O carisma do ex-camisa 12 do Palmeiras contagia até quem não gosta de futebol, imagine então os rivais. É comum andar pelas ruas e ver o quanto o Marcos é querido pelo torcedor brasileiro. Aliás, corintianos, são-paulinos e santistas tiveram a oportunidade de torcer pelo Marcão em 2002, quando o atleta foi o goleiro campeão do mundo pela seleção brasileira na Coréia e no Japão.

9) Crefisa – Num cenário de crise econômica no Brasil, imaginar uma empresa investindo tanto num único clube de futebol parecia utopia. Mas não é. Aliás, além de ser a responsável pelo patrocínio máster da camisa do Palmeiras, a Crefisa ainda auxiliou na chegada do atacante Lucas Barrios e não descarta trazer mais jogadores ao Verdão. De longe, a empresa de crédito financeiro é uma das melhores patrocinadoras do Brasil – mas os rivais não assumem.

10) Allianz Parque – Aqui a dor de cotovelo alcança níveis estratosféricos. Além de ser um estádio 100% privado, ou seja, sem a injeção de dinheiro público, o Allianz Parque possui uma localização extremamente privilegiada, ao contrário do distante bairro de Itaquera, sede do Corinthians, e do sempre difícil acesso ao bairro do Morumbi, casa do São Paulo. A diferença fica ainda mais gritante quando a Arena alviverde é comparada com o estádio santista, localizado no litoral paulista e com capacidade para apenas pouco mais de 16 mil pessoas.

VEJA TAMBÉM: PALMEIRAS É FAVORITO AO TITULO DA COPA DO BRASIL? ASSISTA

Veja um pouco mais sobre a inveja dos rivais do Palmeiras nessa galeria de fotos:

As melhores notícias de esportes, direto para você

 

Foto: César Greco / Palmeiras / Divulgação