Torcedores – Notícias Esportivas

Saiba a importância do Flamengo para a presença do negro no futebol

Mais do que discutir acerca de qual clube foi o primeiro a aceitar a presença de negros em suas equipes, é importante destacar que esse processo contou com ajuda de muitas agremiações, como é o caso do Flamengo em 1933, ao montar um time repleto de jogadores de cor que, anos depois, formaria a base da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1938.

Glauco Costa
Colaborador do Torcedores

Crédito: Arte/ Torcedores.com

LEIA TAMBÉM:
Sete atletas negros que deram MUITO orgulho para o São Paulo
Corinthians provoca Palmeiras por comemorar primeiro título na Nova Arena
Consciência Negra: relembre atletas que revolucionaram o esporte

Em 1933, o Flamengo abriu as portas para sete afrodescendentes em sua equipe, tornando-se, assim, uma das principais atrações do Campeonato Carioca daquele ano. Leônidas da Silva, Domingos da Guia e Faustos foram alguns dos principais pela cristalização da “presença negra em meio ao profissionalismo carioca”, conforme afirmação do historiador Leonardo Pereira.

Mesmo sem ser campeão, o Flamengo conseguiu marcar sua posição contra o racismo. Segundo Mário Filho, o clube, por essa decisão, recebeu a alcunha de “pó-de-carvão”, por parte de torcedores do Fluminense, em resposta as provocações de serem chamados de “pó-de-arroz”.

Esse foi um dos episódios que permitiu ao scratch brasileiro formar uma equipe com a presença de jogadores negros na Copa do Mundo de 1938, em que o Brasil ficou com a terceira colocação. Leônidas, Domingos da Guia e Fausto foram alguns dos jogadores que integram a seleção e defendiam o Flamengo, na época.

Arte/ Torcedores.com