Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Análise: primeiros reforços do Palmeiras para 2016 definitivamente não serão titulares

O Palmeiras terminou 2015 do mesmo jeito que começou: contratando. O clube anunciou nesta quinta-feira (10), as contratações do zagueiro Roger Carvalho, que estava no Botafogo, e do goleiro Vagner, que foi rebaixado com o Avaí no Brasileirão. Bons reforços? Hoje, não.

Danielle Barbosa
Jornalista. Escrevendo para o Torcedores desde 2014.

Crédito: Divulgação/Palmeiras

LEIA MAIS:
“Palmeiras procura atletas com emocional forte”, afirma Alexandre Mattos
Dirigente do Palmeiras pede ajuda da torcida para contratar Conca
Tobio tem retorno descartado por Alexandre Mattos: “Ele pediu para ir embora”
Mattos diz que Palmeiras busca três tipos de reforços e confirma: “Alguns só faltam assinar”
Camisas do Palmeiras com selo de campeão já estão à venda; preços assustam
Palmeiras recebe R$ 1,1 milhão da TV Globo; saiba o motivo

Apesar do título da Copa do Brasil, de ter chegado em duas finais na mesma temporada e da classificação para a Libertadores, os jogadores anunciado até o momento, definitivamente, não chegam para resolver os problemas do Palmeiras.

O goleiro Vagner, por exemplo, teria que disputar uma vaga no time titular com Fernando Prass, um dos heróis do título da Copa do Brasil. Isso já diminui a chance dele jogar em 0%, menos quando Marcelo Oliveira resolver poupar os titulares. Mas além disso, Vagner participou de uma das piores defesas do Brasileirão 2015.

Em 33 jogos disputados, o ex-goleiro do Avaí sofreu 46 gols – uma média de 1,4 por partida. Além disso, Vagner foi muito mal em uma das principais jogadas do Palmeiras na temporada: o lançamento longo. Ele errou 323 lançamentos, média de 9,8 por partida – acertou 171.

Alex Muralha e Marcelo Lomba, outros nomes que foram especulados para reforçar o Palmeiras, tiveram desempenho superior ao do goleiro contratado. Muralha sofreu 41 gols em 35 jogos, enquanto o camisa 1 da Ponte Preta sofreu 39 em 37 partidas disputadas.

Se Vagner é um bom goleiro ou não, só o tempo dirá, mas com certeza, o Palmeiras o contratou pelo que fez no Paulistão de 2014 – quando foi campeão com o Ituano – e não pelo seu desempenho em 2015.

Já a contratação do zagueiro Roger Carvalho parece ser mais “inacreditável” ainda. O jogador de 29 anos acumula passagens frustradas pelo futebol italiano, São Paulo (2013) e Vitória (2014). Nesta temporada ele atuou pelo Botafogo, na Série B do Campeonato Brasileiro.

Na Série B foram 22 partidas, com quatro gols, 50 lançamentos errados (13 certos), 24 desarmes certos, e seu melhor desempenho foi nos passes: 681 certos  e apenas 13 errados.

Roger era titular absoluto do técnico René Simões e posteriormente de Ricardo Gomes, mas jogar a segunda divisão pelo Botafogo é uma coisa. Disputar até mesmo o Paulistão pelo Palmeiras é outra, completamente diferente. Imagina a Libertadores.

O zagueiro não está  a frente do Victor Ramos, Jackson, Nathan ou até mesmo do Leandro Almeida – jogadores que se revezaram na zaga do Alviverde em 2015.

O Palmeiras não vai realizar 25 contratações, como o próprio Alexandre Mattos já confirmou, mas deveria pensar melhor antes de “atirar” para algum lado. O Alviverde precisa de reforços pontuais, e os realizados até agora fogem disso.

Foto: Divulgação/Palmeiras