Campeão olímpico ataca água da baía de Guanabara: “nojenta e perigosa”

A Olimpíada de 2016 está cada vez mais perto de acontecer, mas a cidade do Rio de Janeiro não conseguiu ainda resolver um dos principais problemas para os Jogos. A qualidade da água da baía de Guanabara foi alvo de criticas pesadas de um nome importante da vela olímpica.

Lucas Tieppo
Editor senior do Torcedores.com, o jornalista formou-se na Universidade Metodista em 2009 e passou pelas redações do Diário do Grande ABC, Agora SP, UOL e Fox Sports, onde fez a cobertura da Copa do Mundo de 2014. Está no Torcedores desde outubro de 2014.

Crédito: Getty Images

Campeão na classe na classe RS:X em Londres-2012, o velejador holandês Dorian van Rijsselberghe criticou muito a
baía em texto publicado no seu blog.

“Era comum que sacos plásticos prendessem na quilha. Isso aconteceu com meu companheiro de treino 13 vezes durante uma regata. Tivemos que navegar de ré para tirar o lixo que prendia na prancha. Como será nos Jogos? Velejadores navegando de ré para vencer a corrida. Isso é o que acontecerá se ninguém tomar medidas drásticas para mudar a contínua poluição da água. A [baía de] Guanabara tem tantos sacos plásticos que a população do mundo todo poderia usar os sacos para suas compras de Natal. Resumidamente, a água é nojenta e perigosa”, escrever o holandês.

Dorian van Rijsselberghe esteve no Rio de Janeiro na semana passada entre os dias 15 e 20 e venceu a Copa Brasil de Vela, evento teste para os Jogos.

“Fico feliz de ter vencido na semana passada. Talvez venci porque tive a menor quantidade de lixo na minha quilha. Olhando para trás, vencer em uma sopa de sacos plásticos não me dá alegria”, completou.

A poluição da água da baía de Guanabara é o grande problema a ser resolvido a oito meses dos Jogos. Diversas reportagens de veículos internacionais tem alertado sobre a grande quantidade de vírus no local.

Crédito da foto: Getty Images