Mundial: Galvão comete gafe com Mascherano e internautas não o perdoam; veja

Galvão
Credito de imagem: Reprodução/TV Globo

A final do Mundial de Clubes neste domingo (20) põe frente a frente dois clubes tradicionais do futebol: River Plate (ARG) e Barcelona (ESP). Até por isso que a TV Globo colocou Galvão Bueno, considerado o principal narrador da emissora, para trabalhar nesta partida. Mas os torcedores do Barça, principalmente os fãs de Javier Mascherano, não devem ter ficado muito feliz com ele.

LEIA MAIS
Galvão Bueno vai narrar final do Mundial de Clubes; relembre narrações marcantes
Sem folga! Globo põe Galvão Bueno para narrar final do Mundial entre Barcelona e River Plate

Isso porque o jornalista tentou explicar a trajetória do volante argentino até chegar ao clube catalão. “Foi para o West Ham, depois para o Manchester United”, citou. Porém, o atleta sul-americano nunca jogou no Manchester United (ING), mas sim no Liverpool (ING), rival dos Red Devils. O que deve ter confundido Galvão foi que quem fez esse caminho foi o ex-companheiro dele, o atacante Carlos Tevez. Os internautas não perdoaram o cronista e encheram de críticas no Twitter.

Veja abaixo:

“Jogo dos oito erros”

Outras sete gafes foram vistas na transmissão global, envolvendo tanto Galvão Bueno como os comentaristas Walter Casagrande e Paulo César de Oliveira, que não escaparam da repercussão dos internautas. Na primeira, o narrador disse que o português José Mourinho era o técnico do Chelsea (ING) no Mundial vencido pelo Corinthians, porém na verdade era Rafa Benítez o comandante azul em 2012.

Na segunda, Galvão “trocou as bolas” e se atrapalhou ao relembrar a decisão entre São Paulo e Liverpool (ING) em 2005. “O Liverpool estava há oito gols sem tomar jogos”. Na terceira, após o primeiro gol do Barcelona, ele elogiou o canto da torcida do time catalão, quando na real os fanáticos que faziam festa eram o do River Plate. Na quarta, o cronista exaltou o meia “tcheco” Rakitic, que é nascido na Croácia.

Já na quinta, o alvo foi o ex-árbitro paulista Paulo César, que ao criticar o lateral Jordi Alba, do Barça, o chamou de “Jorge Alba”. Na sexta gafe, Galvão voltou e “alfinetou” o espírito de liderança de capitão de Lionel Messi, mas quem veste a faixa de líder é Iniesta no clube azul-grená. E na última, Casão foi quem também cometeu um pequeno erro, ao dizer que os argentinos não chegavam no Mundial desde 1986, porém a última vez em que os sul-americanos marcaram presença no torneio foi em 1996, diante da Juventus (ITA).

- Atualizado ao meio-dia - 

Crédito da foto: Reprodução/TV Globo



Jornalista desde 2012, com passagens pelos jornais ABCD Maior e Diário do Grande ABC, além do canal NET Cidade. Atualmente como repórter colaborador no site Torcedores.com.