Na volta ao Inter, missão de Jackson será apagar imagem deixada em um certo Gre-Nal

Alexandre Lops / Internacional

Em um Inter que ainda cambaleava no Brasileirão após a saída de Dunga, o zagueiro Jackson passou a receber chances do novo técnico Clemer e foi escalado como titular no Gre-Nal pelo segundo turno do campeonato de 2013, disputado em Caxias do Sul. Com gol de Willians logo no início, o colorado começou bem a partida e dominava o rival até o fim do primeiro tempo.

Aí, assustado pela presença do sempre perigoso centroavante Barcos às costas, Jackson se precipitou ao tentar afastar um lançamento e acabou mandando a bola contra a própria meta, encobrindo o goleiro Muriel. No final, o Inter ainda conseguiu empatar em 2×2 depois de sofrer a virada, e Jackson foi perdendo espaço no plantel principal.

 

No ano seguinte, foi emprestado ao Goiás e fez um ótimo Campeonato Brasileiro de 2014 pelo Esmeraldino, ficando ausente de pouquíssimas rodadas. As boas atuações em Goiânia despertaram o interesse do Palmeiras, que acertou junto ao Inter o empréstimo do defensor para 2015.

Mesmo com a concorrência de nomes como Victor Ramos e Leandro Almeida, Jackson, mais maduro e experiente, conquistou a confiança de Marcelo Oliveira e terminou em alta a temporada, sendo titular nos dois confrontos finais da Copa do Brasil diante do Santos. O Verdão havia demonstrado o interesse em mantê-lo no elenco, mas não houve acerto na hora de exercer o poder de compra pelo qual tinha direito.

De volta ao Inter em 2016, Jackson conta com a admiração do técnico Argel Fucks. Terá como companheiros de zaga Paulão, Ernando, Alan Costa, Rodrigo Moledo, Rever e Eduardo. Se mantiver o bom rendimento apresentado no Palmeiras, tem tudo para apagar de vez aquele fatídico Gre-Nal de 2013.

Alexandre Lops / Internacional



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.