Opinião: Um dos poucos erros da administração de Paulo Nobre

Os resultados que chegaram em 2015 não foram em vão. O Palmeiras foi vice-campeão Paulista, fez um bom primeiro turno no Brasileiro, venceu a grande maioria dos clássicos e para fechar com chave de ouro levou a Copa do Brasil com todo louvor em cima do Santos. Méritos totais da administração do presidente Paulo Nobre. Aliás, se não fosse por ele, estaríamos correndo atrás do próprio ‘rabo’ até hoje.

LEIA MAIS:
Mercado da bola 2016: Éverton Ribeiro está próximo do Palmeiras

Enfim, deixando as qualidades de lado, Nobre também cometeu suas falhas. Outras menores e outras gigantes. Na minha visão, a pior delas foi insistir na cobrança de ingresso para crianças. Em entrevista recente para o ‘Estado de S.Paulo‘, o presidente alviverde ressaltou que não quer que o Palmeiras seja responsável pelas crianças caso aja um tumulto na arena. Vamos lá:

1) Não entendo esse receio se a nossa arena é uma das mais equipadas do mundo. Tem até reconhecimento facial. O torcedor que tentar brigar e causar confusão será imediatamente retirado, ‘matando’ assim qualquer tipo de situação constrangedora e violenta;

2) Nobre disse que “não vai proibir, mas não vai incentivar crianças no Allianz Parque”. Ora bolas, por qual motivo? As crianças são o futuro da nossa torcida. Em breve, muito em breve, serão eles que pagarão os ingressos e que vão lotar os estádios. Eu tenho certeza que muitos palmeirenses hoje são gratos pelos seus pais por terem levados no estádio no passado. Lembro-me até hoje da primeira vez que fui e posso garantir que me tornei palmeirense naquele dia;

3) “No Pacaembu tinha gratuidade para tudo e o Palmeiras é que arcava”. Será que a despesa de gratuidade para crianças é tão absurda assim? Será que ao invés de fazer algumas ações de marketing sem resultado aparente não seria melhor investir no nosso futuro? Será que realmente é um custo, não um investimento? Eu acredito seriamente que as crianças tem o poder do mudar o mundo no futuro. Será que dos pequenos não teremos grandes dirigentes, líderes de torcida, conselheiros e diretores?

Lembrando que essa atitude é exclusivamente do Palmeiras e não da WTorre. Paulo Nobre disse que vai manter essa questão de pé enquanto for presidente. Portanto, torcedor, lembre-se: se quiser levar seu filho no estádio, não esqueça de comprar ingresso inteiro como se fosse para um adulto.

Aliás cabe aqui uma questão: se criança tem que pagar ingresso, é preciso adaptar o estádio para esse tipo de público. Ter sanitários infantis, área de descanso, fraldário, etc. Pelo que sabemos e conhecemos, o Allianz Parque está bem longe de oferecer essas adequações.



Thiago Gomes é Administrador de Empresas. Trabalha com estratégias digitais e consultoria de e-commerce. É palmeirense e um apreciador do futebol, tanto nacional quanto internacional. Escreve para site esportivo desde 1996.