Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Veja onde estão atualmente os titulares do Inter na derrota para o Mazembe

Cinco anos depois, a fatídica derrota colorada para o Mazembe, do Congo, na semifinal do Mundial de Clubes de 2010, ainda não saiu da cabeça dos colorados. Naquele dia 14 de dezembro, que hoje completa cinco anos, a chance do bicampeonato mundial foi embora de maneira melancólica, em uma partida onde a esperança deu lugar ao vexame e a euforia ao fracasso.

Eduardo Caspary
Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Crédito: Abu Dabhi Emirados Arabes 14-12-10 Estádio Muhammed Bin Zayed Mazembe x Inter Guinazu foto Alexandre Lops

MAIS INTER:

Mercado da Bola 2016: Inter abre possibilidade para reintegrar atual zagueiro do Palmeiras

Cinco clubes que já sonharam com a contratação de D’Alessandro

Ao perder por 2×0, o Inter ficou de fora da grande decisão e ainda se viu obrigado a jogar uma indigesta disputa de 3° e 4° lugar, em que venceu o Seongnam, da Coreia do Sul, por 4×2. Abaixo, o Torcedores.com relembra onde estão atualmente os 11 titulares do Inter escalados por Celso Roth na derrota para o Mazembe. Confira:

Renan – Sem grande culpa nos dois gols sofridos, Renan seguiu no Inter nos dois anos seguintes, mas já em 2011 perdeu espaço e viu de perto a ascensão de Muriel. Em 2013, Renan deixou o colorado e foi para o Goiás, onde segue até hoje como titular incontestável e com um dos maiores salários do elenco.

Nei – O lateral-direito seguiu no Inter após o Mundial e chegou a fazer um bom ano em 2011, sobretudo após a chegada do técnico Dorival Jr. Não renovou o contrato no final de 2012 e se transferiu para o Vasco em 2013. Entre lesões e más atuações, não se firmou em São Januário. Está na lista de dispensa do clube divulgada recentemente.

Bolívar – Capitão colorado naquela partida, o zagueiro Bolívar perdeu o prestígio que tinha nos anos seguintes e deixou o Beira-Rio no final de 2012. Em 2013, fez uma boa temporada no Botafogo, onde acabou saindo na metade de 2014 por desentendimentos com a diretoria e comissão técnica. No início desse ano, jogou o Gauchão pelo Novo Hamburgo e depois esteve na Portuguesa. Atualmente, está sem clube.

Índio – Seguiu no Inter mesmo após a pesada derrota para o Mazembe. Foi titular na maioria das vezes entre os anos de 2011 e 2013, e acabou encerrando a carreira no Inter no final de 2014.

Kléber – Um dos grandes destaques da conquista da Libertadores de 2010, Kléber também teve uma boa temporada em 2011, quando, por exemplo, fez o gol do título da Recopa Sul-Americana. Teve uma queda de rendimento nos anos seguintes e viu o concorrente Fabrício crescer na disputa pela titularidade. Em 2014, o lateral disputou parte do Brasileirão pelo Figueirense. Uma lesão abreviou a sua passagem pelo time catarinense e ele decidiu encerrar a carreira.

Wilson Matias – O “espetacular” chamado pelo ex-presidente Fernando Carvalho teve vida curta no Beira-Rio. Em entrevista recente, admitiu que sua agitada vida noturna o prejudicou em Porto Alegre. Em 2012, ainda teve uma breve passagem pela Portuguesa antes de voltar ao futebol mexicano. Atualmente, defende o Veracruz.

Guiñazu – Ídolo da torcida colorada, Guiñazu optou por deixar o Beira-Rio no final de 2012, quando aceitou uma proposta do Libertad, do Paraguai, clube que já havia defendido em 2006. Ainda em 2013, acertou o seu retorno ao Brasil para o Vasco, onde amargou dois rebaixamentos. Seu nome consta na mesma lista de dispensa de Nei.

Tinga – Paulo César Tinga optou por sair do Inter logo após a conquista estadual de 2012 sobre o Caxias. Naquele mesmo ano, disputou o Brasileirão pelo Cruzeiro, mesmo time em que se sagraria bicampeão brasileiro em 2013 e 2014 antes de encerrar definitivamente a carreira.

D’Alessandro – Dos 11, é o único que ainda segue no Inter. Com prestígio inabalável no Beira-Rio, Andrés D’Alessandro segue como o cérebro e referência técnica do time gaúcho, e em 2016 fará a sua nona temporada pelo clube. Tem contrato com o Inter até 2017.

Rafael Sóbis – Bicampeão da Libertadores pelo Inter, Sóbis acabou tendo uma saída conturbada do Beira-Rio um ano depois da derrota no Mundial de 2010. Acabou se reencontrando no Fluminense, de Abel Braga, e foi campeão brasileiro em 2012. Em 2015, foi contratado pelo Tigres, do México, e virou personagem da vitória dos mexicanos sobre o próprio Inter, na semifinal da Libertadores dessa temporada.

Alecsandro – Já naquela época do Mundial de 2010, Alecsandro sentia os efeitos da forte sombra de Leandro Damião, que estouraria na temporada seguinte com mais de 40 gols. Em 2011, Alecsandro foi para o Vasco. De lá, seguiu para Atlético-MG, Flamengo e atualmente joga no Palmeiras.

As melhores notícias de esportes, direto para você

 

Crédito da foto principal: Site do Internacional.