Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Achei! Lúcio, ex-Palmeiras, jogará Gauchão-2016 pelo Veranópolis

A torcida do Palmeiras certamente se lembrará do lateral Lúcio, que viveu o céu e o inferno nos tempos em que defendeu a camisa alviverde. Depois de ser um dos pilares para o acesso do clube à Série A do Campeonato Brasileiro, em 2003, o jogador não seguiu a boa fase e passou a ser perseguido pela torcida, culminando em sua saída para lá de conturbada. Hoje, aos 36 anos, ele ainda está na ativa e acaba de fechar contrato para defender o Veranópolis, equipe do interior do Rio Grande do Sul.

Redação Torcedores
Textos publicados pela Redação do Torcedores.com.Contato: redacao@torcedores.com

Crédito: Luana Trentin/Divulgação

LEIA TAMBÉM:
Lembra dele? Élder Granja, ex-Inter e Palmeiras, acerta com Juventus da Mooca
Mercado da bola 2016: Lembra dele? Taddei pode deixar Itália e jogar no Sport Recife

O jogador chega como uma espécie de “curinga” para o time da primeira divisão do Campeonato Gaúcho, já que atuou como meio-campista nos últimos clubes por quais passou. Além do Palmeiras, Lúcio jogou pelo Grêmio, São Paulo, Hertha Berlim-ALE, Náutico, entre outros clubes. Em 2015, o veterano defendeu o Salgueiro e depois o Santa Cruz.

“Estou muito feliz e motivado com esse desafio. Me sinto como quando cheguei no Grêmio. Quero ajudar o clube a conquistar a vaga na Série D. O torcedor pode esperar de mim o bom futebol de sempre”, afirmou Lúcio em sua apresentação oficial ao Veranópolis, na última segunda-feira.

Para quem não se recorda, a história de Lúcio com o Palmeiras começou em 2003. Na Série B, o clube comandado por Jair Picerni trouxe o ala, destaque pelo São Caetano à época. Rapidamente ele se consolidou como titular na lateral esquerda e virou um dos principais destaques da campanha rumo à elite do Campeonato Brasileiro.

A fase do então jogador de 22 anos era tão boa que o jornalista Jorge Kajuru, palmeirense declarado, afirmou que Lúcio estava “entre os quatro melhores laterais do mundo”, atrás somente de Roberto Carlos, Léo e Maldini. Em 2004, todavia, o encanto acabou e a torcida passou a hostilizar o camisa 6, chamando-o de “vagabundo” até sua saída definitiva do Palestra Itália.

Curtiu a matéria? Siga o autor no Twitter: @fontes_matheus.
Facebook: Matheus Martins Fontes.

Foto: Luana Trentin/Divulgação