5 erros capitais de Cuca em sua estreia pelo Palmeiras

O Palmeiras foi derrotado pelo Nacional, em Montevidéu, nesta quinta-feira (17), pela quarta rodada da fase de grupos da Libertadores, e agora se encontra em uma situação muito delicada na competição, já que não depende apenas de si para se classificar para as oitavas de final.

Danielle Barbosa
Colaboradora do Torcedores.com.

Crédito: Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

A partida marcou a estreia do técnico Cuca no comando do Verdão, e apesar do pouco tempo que teve para trabalhar, lembrando que ele foi apresentado na segunda-feira, o comandante resolveu mudar o time do Palmeiras e acabou pagando caro por isso.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Obviamente, ele não pode ser cobrado pelo resultado e muito menos culpado pelo péssimo jogo do Palmeiras, mas listamos cinco equívocos cometidos por Cuca que contribuíram para a derrota; Confira!

  1. Egídio como titular: O lateral-esquerdo Egídio não é titular no Palmeiras desde 2015, após cometer falhas grotescas de marcação, e em 2016 havia sido escalado como titular em apenas duas oportunidades, onde também cometeu falhas. O próprio Marcelo Oliveira já havia admitido que o camisa 6 não sabe marcar, então, por que sair jogando com ele em uma partida tão importante e fora de casa? Desnecessário.
  2. Robinho na reserva: Robinho pode não ser o principal jogador do Palmeiras em 2016, mas em hipótese alguma se tira o LÍDER DE ASSISTÊNCIAS do time. O camisa 27 não é um maestro, mas foi fundamental em muitas oportunidades e bem ou mal rege o time do Verdão no meio-campo. Não era jogo pra entrar “só” no segundo tempo.
  3. Manter o Lucas no time: O Palmeiras, praticamente, não jogou no primeiro tempo e os laterais contribuíram muito para isso. Assim como Egídio, Lucas, pelo lado direito, também foi muito mal e não merecia ter voltado para a segunda etapa – onde também apresentou um péssimo futebol, tanto ofensivamente como defensivamente. Cuca deveria ter voltado com Jean no time.
  4. Gabriel como titular: O Palmeiras sentiu muito a ausência do Gabriel em 2015 e seu retorno era muito aguardado, mas não em um jogo como esse. O camisa 18 está sem ritmo, sem entrosamento e ainda muito “travado” em campo, aparentemente com medo de disputar algumas jogadas – o que é extremamente normal e compreensivo devido a situação. Para a partida, Cuca tinha Matheus Sales, Jean e Thiago Santos como opções.
  5. Arouca como 1º volante: A entrada do Gabriel como titular recuou demais o Arouca, que mesmo que timidamente tem uma qualidade no passe maior que o Gabriel, que ainda estava voltando de lesão. Colocar o camisa 5 pra jogar recuado fez o time perder muito no meio de campo, e por várias vezes ele estava jogando na mesma linha dos zagueiros, um baita desperdício.

Ao que tudo indica, Cuca se equivocou ao mexer na equipe que venceu – e jogando bem – o São Paulo no final de semana. Agora, com mais alguns dias de treino e a partida contra o Audax, pelo Paulistão, o novo treinador terá mais oportunidades para arrumar o time.