Dunga vê dois tempos distintos e critica amarelo em Neymar

Crédito a foto: Divulgação/ Rafael Ribeiro/ Site oficial CBF

Após o empate por 2×2 entre Brasil e Uruguai pelas Eliminatórias da Copa do Mundo 2018, o técnico Dunga, concedeu entrevista coletiva. Para Dunga, no primeiro tempo a equipe encaixou bem, foi um tempo muito bom, no qual a seleção conseguiu rodar a bola, aproveitar os espaços, mas no segundo tempo não houve circulação e o Uruguai aproveitou as oportunidades.

LEIA MAIS:

BRASIL COMEÇA BEM, MAS PERDE O CONTROLE E DEIXA URUGUAI CHEGAR AO EMPATE
CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO DAS ELIMINATÓRIAS PARA COPA DO MUNDO DE 2018

Durante a entrevista perguntado sobre a dificuldade que o Brasil enfrentou no segundo tempo, o técnico respondeu: “Eles se fecharam bem, tomam poucos gols. Deixamos de fazer a circulação da bola e facilitou a marcação. Foram dois tempos distintos. No segundo tempo o Uruguai conseguiu neutralizar”.

Sobre as alterações feitas disse: “Tentamos modificar com o Coutinho para dar mais velocidade, mas a equipe deles estava muito fechada. Renato Augusto recuou para melhorar a saída de bola. Quando se faz gol, todo mundo participa, quando tomar todos são responsáveis. Não é fácil enfrentar Suárez e Cavani, jogadores de muita qualidade”.

Perguntando sobre as faltas marcadas em cima do atacante uruguaio, Suárez, Dunga disse: “O Suárez incomoda muito, vai muito no corpo. Tivemos algumas situações fora do normal, mas não adianta reclamar, o Suárez vai no corpo e o juiz estava deixando. Temos que agir da mesma forma. Em certos momentos não adianta jogar futebol, tem que ir no corpo a corpo”.

“A gente sempre conversa (com Neymar). Acho que a falta não foi tão grave para amarelo. E quando ele leva falta não tem amarelo. Mas ele é o Neymar, as coisas vão ser sempre mais rígidas para ele”, disse o técnico sobre o cartão amarelo que Neymar recebeu, após entrada dura no jogador Uruguaio, Álvaro González.

Durante a entrevista quando perguntado sobre quem irá substituir Neymar e David Luiz, ambos suspensos, para o próximo jogo contra o Paraguai, o técnico disse que a partir de amanhã irão pensar nas substituições. já a respeito das eliminatórias afirmou: “Depois da Copa do Mundo, vai ser uma das eliminatórias mais difíceis. Não vai ter jogo fácil. Temos que unir forças com o torcedor, com os jogadores em campo. Um representante que cobre na Conmebol o mesmo critério do árbitro”.

A seleção brasileira volta a campo na terça-feira(29), contra o Paraguai, em Assunção,pela sexta partida partida das eliminatórias. O Brasil está na terceira colocação com pontos, logo atrás a seleção Paraguai também com 8 pontos.



Sou estudante de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo. Tenho 18 anos, e gosto de esportes no geral, principalmente de futebol.