Opinião: um atalho entre Cotia e Barra Funda no São Paulo

No inicio desta semana, o São Paulo apresentou o novo Diretor de Futebol, Luiz Antonio Cunha, que era o homem forte no CT de Cotia durante os últimos títulos conquistados pelos garotos do Sub 20. Um “torcedor mais informado”, como ele se intitulou, Cunha foi escolhido para ser o homem forte do futebol do Tricolor por um motivo muito claro: o presidente Leco quer uma aproximação entre os CTs de Cotia e Barra Funda.

Diferente da maioria dos diretores do Tricolor, Luiz Antonio Cunha não é conselheiro do clube. Mas foi um dos principais opositores do terceiro mandato do ex-presidente Juvenal Juvêncio.

Na ocasião, ele era Diretor Adjunto do Futebol de Base e Profissional, e por não concordar com a reeleição, saiu do cargo. Inclusive, ao mandar uma carta aberta aos conselheiros do clube, comprou uma briga com Carlos Miguel Aídar, que na época foi um dos principais articuladores do terceiro mandato de JJ.

E curiosamente, foi convidado por Aídar para fazer parte da diretoria do clube quando ele venceu a eleição em 2014. Porém, quando houve as polêmicas entre Aídar e Ataíde, novamente Luiz Antonio Cunha entregou o cargo, que era o de Diretor de Futebol Amador do São Paulo. Retornou quando Leco assumiu, ganhando o cargo de Diretor no CT de Cotia.

Sempre vista como uma das maiores conquistas do clube do Morumbi, o CT de Cotia foi inaugurado em 2005 com o intuito de aumentar o numero de atletas revelados pelo São Paulo. Apesar da estrutura fantástica, em dez anos o CT de Cotia não foi exatamente o que o São Paulo esperava. Não houve tantas revelações assim, talvez a maior delas tenha sido o jovem Lucas, que hoje joga no Paris Saint Germain, e que até hoje é a venda mais cara realizada pelo Tricolor. Mas ainda assim, é muito pouco.

Diante dos problemas financeiros atuais do São Paulo, e uma categoria de base vencedora (o time sub 20 conquistou a Libertadores da categoria), o que se esperava era que alguns desses jovens talentos fossem aproveitados pelo técnico Bauza. Mas, não foi isso que aconteceu. Apenas o meia Lucas Fernandes foi promovido, e só teve de fato uma chance na partida realizada nesta última quarta-feira diante do Botafogo de Ribeirão Preto, quando entrou no intervalo no lugar do Carlinhos.

Com a pretensão de fazer uma reformulação no elenco para a disputa do Brasileirão, e com uma condição financeira ruim, parece que Leco escolheu o homem certo para aproximar de vez os dois CTs e finalmente, fazer com que o Tricolor aproveite melhor a categoria de base. Outros atletas deverão ser promovidos para o elenco profissional para a disputa do Brasileirão, pelos discursos adotados do diretor Luiz Antonio Cunha, que já deu alguns nomes de garotos que merecem uma chance na equipe profissional, além de estar atento ao jovem Luiz Araújo, que está emprestado ao Novorizontino.