Futebol Feminino: Iranduba tem o segundo melhor público da noite e supera jogos do masculino

Crédito da Foto: Reprodução/Facebook do Iranduba

Em partida válida pela primeira rodada da segunda fase do Campeonato Brasileiro Feminino, o Iranduba do Amazonas, empatou com o Corinthians Audax por 2 x 2, com público histórico para a modalidade. A noite também foi marcada pela estreia do futebol feminino na Arena da Amazônia, um dos palcos da Copa do Mundo de 2014.

LEIA MAIS:
Millene fica como artilheira isolada do Brasileirão Feminino

Com 8.147 torcedores, a competição feminina levou mais público ao estádio que o Corinthians masculino. O Timão também jogou na quarta-feira (23), com um total de 7.626 espectadores na vitória por 3 x 0 contra o São Bernardo, pelo Campeonato Paulista.

Com uma renda bruta de R$ 51.120,00, o público só foi superado pela semifinal da Primeira Liga, em que o Flamengo foi eliminado pelo Atlético/PR, com a presença de 11.735 pessoas, de acordo com um levantamento do site de estatísticas Sr Goool.

Na outra semifinal entre Fluminense x Internacional, o público não chegou aos 7.000.

Nem mesmo o futebol nordestino, acostumado a levar grandes públicos aos estádios, ultrapassou o Brasileirão Feminino.

Na Copa do Nordeste, Bahia x Santa Cruz teve 7.927 fãs. Ceará x Vitória da Conquista, contou com 6.107. Já o duelo entre Sport x Botafogo/PB levou apenas 5.841 testemunhas.

Pelo Campeonato Paulista, o São Paulo levou 3.214 pessoas ao Pacaembu, na vitória por 1 x 0 diante do Botafogo/SP. No Moisés Lucarelli, 1.079 viram a derrota da Ponte Preta por 1 x 0 para o Mogi Mirim.

Além do segundo maior público da noite, a partida bateu o recorde de torcedores no Campeonato Brasileiro Feminino de 2016.

O último grande público da arena foi no ano passado, na partida entre Nacional x Remo pela Série D do Campeonato Brasileiro Masculino com 11.035 pessoas.

Em noite histórica, a atacante Nathane foi a primeira mulher a marcar um gol na Arena Amazônia. Kelen marcou o segundo da equipe, enquanto Gabi Nunes e Grazi fizeram para o Corinthians Osasco Audax.

Opinião

Não há mais espaço para o discurso de que o futebol feminino não tem público e por isso falta investimento e visibilidade. O que falta é atitude. Podem ser 100 ou 10.000 torcedores que comparecem a um jogo de mulheres, o que importa é o interesse das pessoas em acompanhar a modalidade e isso deve ser respeitado. Já presenciei inúmeras partidas do masculino profissional, que não chegaram aos 300 espectadores. Enquanto os estádios e os números de audiência do futebol masculino caem no Brasil, a modalidade feminina ganha força e precisa de muito mais incentivo para poder fazer parte da frase “País do Futebol”.

A EnterPlay, nova plataforma de conteúdo digital que reúne TV aberta, fechada, vídeos e música sob demanda, jogos e aplicativos, faz as transmissões de três jogos do Brasileirão Feminino por rodada, sempre no sistema de compra pelo PPV.

O plano mensal para acesso ao Brasileirão Feminino Caixa e a outras competições que futuramente serão transmitidas pela EnterSports custa R$ 29,90. Para comprar um dia separadamente, o valor é de R$ 15.

Cobertura do Torcedores.com

Nos próximos meses, o Torcedores.com terá materiais especiais sobre a maior competição de futebol entre mulheres no Brasil, com colaboradores acompanhando as partidas nos estádios, vídeos com gols e comentários produzidos pela TV Torcedores, entre outros conteúdos.

O site acompanha desde janeiro os principais jogos em todas as fases, fez cobertura também do draft, que este ano teve sua segunda edição distribuindo as jogadoras da seleção brasileira permanente entre os clubes classificados para a segunda fase, além da prestação de serviço informando ao internauta como assistir aos jogos do Brasileirão Feminino pela TV e internet.