Futebol no divã: Palmeiras, a inconstância depois da Parmalat

Falaremos hoje do maior campeão nacional, o Palmeiras, o time que foi considerado ‘O campeão do século XX’ em que ganhou pelo menos uma taça de todos as competições que disputou. Vamos entender porque o Verdão esta aqui, “deitado em nosso Divã”. Confira abaixo o que aconteceu com o Alviverde depois da era Parmalat e como o clube saiu da fatídica crise financeira que assolava o clube até o final de 2014.

Cleiton Eduardo
Sou Apaixonado por futebol desde criancinha, tento dar minha opinião de forma imparcial, mesmo que seja contra meu time de coração. Gosto de ver opiniões de outros torcedores com o que escrevo e falo. Dizem que sou um pouco polêmico por não ter papas na língua. Prezo pela verdade.

Crédito: César Greco/Ag. Palmeiras

Que o Palmeiras é ‘Gigante’, isso todos nós sabemos, mas depois da era Parmalat, o Verdão se perdeu, afundou em crise, e só foi melhorar financeiramente em 2015 com o atual presidente Paulo Nobre. Não só bastasse os problemas financeiros da equipe, o Verdão acumulou nesses 15 anos dois rebaixamentos no Brasileirão, vários vexames para times pequenos e incontáveis derrotas de goleada. siga a linha do tempo do verdão.

2000- O fim da Co-Gestão Palmeiras e Parmalat

Time base: Marcos, Rogério, Argel, Roque Júnior e Júnior; César Sampaio, Galeano e Alex; Pena, Marcelo Ramos e Euller.

Técnico: Luiz Felipe Scolari

  • Vai a sua segunda final na Libertadores consecutiva e perde para o Boca Juniors nos Pênaltis.
  • Depois de oito anos, a Parmalat sai do Palmeiras. sem o dinheiro da empresa, o Palmeiras se vê como uma criança sem os pais, e deu no que deu: dívidas e mais dívidas, além de nenhum profissionalismo para administrar o Verdão e péssimas escolhas para contratação de jogadores.

2001- Ainda era um ótimo time

Time base: Marcos, Arce, Leonardo, Alexandre e Rovilson, Fernando, Claudecir, Lopes e Alex, Fabio Jr e Tuta

Técnico: Celso Roth

Goleadas Sofridas: 7/11/2001 – Fluminense 6 x 2 (Brasileiro)

  • Naquele ano, o Palmeiras poderia ter chegado a terceira final de Libertadores seguida, mas tinha um juiz no caminho do verdão, Ubaldo Aquino, que “operou” o verdão naquele jogo em La Bombonera contra o Boca Juniors, deixando de marcar um pênalti para os brasileiros e marcando um pênalti totalmente inexistente a favor do time argentino.

2002- O Primeiro rebaixamento da história e o primeiro vexame contra times pequenos

Time Base: Marcos, Arce, Cesar, Alexandre e Rubens Cardoso, Flavio, Paulo Assunção, Pedrinho e Zinho, Itamar e Munhoz.

Técnico: Vanderlei Luxemburgo / Murtosa / Levir Culpi

Goleadas sofridas: 1/9/2002 – Paraná 5 x 1 (Brasileiro) 25/8/2002 – Atlético-MG 4 x 0 (Brasileiro)

  • 2002 é um ano em que o torcedor do Palmeiras não gosta de lembrar. Com um time que beirava ao razoável pra bom (se fosse hoje seria um dos melhores) o time deu vexame e foi eliminado em pleno Palestra Itália lotado para o Asa de Arapiraca. Começavam então os vexames para os times pequenos.
  • O Verdão foi rebaixado no final daquele ano. O último jogo foi contra o Vitória, no Barradão, e o Palmeiras perdeu por 4 x 3, selando assim seu primeiro rebaixamento na história.

2003- Lado B

Time base: Marcos, Baiano, Daniel, Leonardo e Lucio, Marcinho Guerreiro, Magrão, Elson e Diego Sousa, Vagner Love e Edmilson

Técnico: Jair Picerni

Goleadas Sofridas: 23/4/2003 – Vitória 7 x 2 (Copa do Brasil)

  • Em meio a reformulação do elenco, o Palmeiras iniciou a campanha da serie B com um time praticamente todo feito pela base. um time que se mostrou muito bom, com revelações como Vagner Love que foi o artilheiro do time naquele ano.
  • Mesmo assim o Palmeiras não foi diferente do ano de 2002, na Copa do Brasil o verdão foi eliminado pelo Vitoria com sonoros 7×2 o maior vexame da história do Palestra Itália.
  • No Brasileirão o verdão vai bem e com a festa da torcida consegue subir para a Serie A novamente sagrando-se campeão da segunda divisão daquele ano.

2004- Carro de F1 com pneus meia vida

Time Base: Marcos, Baiano, Nem, Leonardo e Lucio, Marcinho Guerreiro, Magrão, Adãozinho (Correia) e Pedrinho, Munhoz e Vagner Love

Técnico: Estevam Soares

  • O Verdão manteve a base naquele ano, e o então técnico Estevan Soares deixou a equipe em 4° lugar no Brasileirão. Muitos dizem que, se o presidente Mustafa Contursi não tivesse vendido o artilheiro da equipe, Vagner Love, o Palmeiras poderia ter sido campeão Brasileiro.
  • O Palmeiras não deixou de dar o seu “costumeiro” vexame naquele ano. No Campeonato Paulista, sofreu uma eliminação nos pênaltis para o Paulista de Jundiaí, e na Copa do Brasil foi eliminado pelo Santo André.

2005- Mais um ano como pequeno coadjuvante 

Time Base: Marcos, André Cunha, Daniel, Gamarra e Lucio, Correa, Marcinho Guerreiro, Marcinho e Juninho Paulista, Gioino e Washington

Técnico: Leão

Goleadas Sofridas: 6/11/2005 – Atlético-PR 4 x 0 (Brasileiro) 23/5/2005 – América-SP 4 x 1 (Paulista)

  • O Verdão conseguiu o acesso a Libertadores no último jogo do campeonato.

2006- Nada de novo

Time Base: Marcos, Paulo Baier, Dininho, Gamarra e Marcio Careca, Correa, Marcinho Guerreiro, Francis e Marcinho, Edmundo e Washington

Técnico: Marcelo Villar / Tite / Jair Picerni

Goleadas Sofridas: 26/11/2006 – Internacional 4 x 1 (Brasileiro), 3/9/2006 – Santos 5 x 1 (Brasileiro), 24/5/2006 – São Paulo 4 x 1 (Brasileiro), 22/4/2006 – Figueirense 6 x 1 (Brasileiro), 8/3/2006 – América-SP 4 x 1 (Paulista)

  • Na Libertadores, foi eliminado pelo São Paulo com erro do juiz, que marcou um pênalti que não houve para o Tricolor Paulista. No Brasileirão, terminou em 16°.

2007- Mais do mesmo

Time Base: Marcos, Paulo Sergio, Gustavo, David e Valmir, Martinez, Wendell, Makelele e Caio, Edmundo e Rodrigão

Técnico: Caio Jr.

Goleadas sofridas: 2/9/2007 – Cruzeiro 5 x 0 (Brasileiro)

  • 5° lugar no Campeonato Paulista, 5° lugar no Brasileirão e eliminado pelo Ipatinga na Copa do Brasil.

2008- A ressurreição? 

Time base: Marcos, Elder Granja, Gustavo, Henrique e Lenadro, Martinez, Pierre, Leo Lima e Valdivia, Kleber e Alex Mineiro

Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Goleadas Sofridas: 16/11/2008 – Flamengo 5 x 2 (Brasileiro), 20/8/2008 – Internacional 4 x 1 (Brasileiro), 30/4/2008 – Sport 4 x 1 (Copa do Brasil)

  • Em 2008 com apoio da parceira Traffic, o Verdão conseguiu contratar bons jogadores, e foi campeão do Campeonato Paulista daquele ano.
  • Verdão também se classificou para a Libertadores de 2009
  • Desclassificado pelo Sport na Copa do Brasil.

2009- As dolorosas derrotas

Time Base: Marcos, Wendell, Danilo, Mauricio Ramos e Armero, Edmilson, Pierre, Cleiton Xavier e Diego Souza, Obina e Vagner Love

Técnico: Vanderlei Luxemburgo / Muricy Ramalho

  • Depois de liderar o Campeonato Paulista, perdeu na semifinal para o Santos e foi eliminado da competição.
  • No Brasileirão, com praticamente todos dando o Palmeiras como campeão, perdeu jogos importantes, terminou em 5° lugar e não se classificou para a libertadores.

2010- Mais uma pitada de vexames

Time base: Marcos, Vitor, Danilo, Mauricio Ramos e Gabriel Silva, Edinho, Assunção, Tinga e Lincoln, Valdivia e Kléber

Técnico: Muricy Ramalho / Antonio Carlos Zago / Parraga / Luiz Felipe Scolari

Goleadas Sofridas: 17/2/2010 – São Caetano 4 x 1 (Paulista)

  • 10° no Brasileiro, 11° no Paulista, eliminado para o Atlético Goianiense na Copa do Brasil e para o Goiás na Sul americana em casa.
  • Palestra Itália foi fechado para reformas.

2011- Os vexames não param

Time Base: Marcos, Vitor, Danilo, Mauricio Ramos, Marcio Araújo, Marcos Assunção, Valdívia, Tinga, Kleber e Luan

Técnico: Luiz Felipe Scolari

Goleadas Sofridas: 5/5/2011 – Coritiba 6 x 0 (Copa do Brasil)

  • Eliminado pelo Corinthians nos pênaltis ma semi-final do Campeonato Paulista, 11° no Brasileirão, eliminado na Copa do Brasil pelo Coritiba com um vexame de 6 x 0.

2012- Do Céu ao inferno

Time Base: Bruno, Mauricio Ramos, Henrique, Artur, Juninho, Marcos Assunção, Marcio Araújo, Wesley, Valdivia, Luan e Barcos

Técnico: Luiz Felipe Scolari / Gilson Kleina

  • No Paulista, o Palmeiras foi eliminado pelo Guarani nas quartas de final.
  • Depois de 12 anos sem conquistar nenhum título nacional, Felipão tirou leite de pedra e conquistou a Copa do Brasil, com gol do tão contestado Betinho.
  • No meio da luta contra a queda no Brasileirão, o time ainda sofreria um revés na Copa Sul-Americana, ao ser goleado impiedosamente por 3 x 0 pelo Millonarios, na Colômbia, após vencê-los no Pacaembu por 3 x 1.
  • Com uma equipe fraca o verdão não conseguiu se salvar e pela segunda vez em 10 anos, caiu novamente para a segunda divisão do Brasileirão.

2013- De Novo ao Pesadelo 

Time Base: Fernando Prass; Wendel, Vilson, Marcelo Oliveira, Juninho ; Márcio Araújo, Charles, Wesley e Mendieta; Serginho e Alan Kardec

Técnico: Gilson Kleina

Goleadas sofridas: 27/3/2013 – Mirassol 6 x 2 (Paulista)

  • Em meio a protestos e crise política, o Verdão iniciou 2013 com novo presidente, Paulo Nobre, com promessas de recuperar o financeiro do clube e profissionalizar o departamento de futebol.
  • Mas a crise logo estourou no Verdão, Paulo Nobre foi muito criticado da forma que conduziu a venda de Barcos. Alegando problemas financeiros, a diretoria liberou o artilheiro do time na temporada anterior em troca de 4 jogadores do Grêmio (Vilson, Léo Gago, Rondinelly e Leandro).
  • Nas quartas de final do Campeonato Paulista, o verdão cai para o Santos nos Pênaltis.
  • Na Copa do Brasil o verdão toma um baile do Atlético-PR e cai nas oitavas de final.
  • Na Libertadores, caiu nas oitavas de final para o Tijuana.
  • Com uma campanha tranquila, o Verdão se sagrou campeão da Série B pela segunda vez.

2014- Centenário do desespero

Time Base: Fábio, Bruno, Tiago Alves, Lucio, Wellington, Juninho, Marcelo Oliveira, Wesley, Mendieta, Bruno Cérsar, Leandro e Vinicius

Técnico: Gilson Kleina / Ricardo Gareca / Dorival Jr

Goleadas Sofridas: 21/9/2014 – Goiás 6 x 0 (Brasileiro)

  • No Campeonato Paulista, um novo vexame, perde na semi-final para o Ituano, que se consagraria campeão Paulista daquele ano.
  • Na Copa do Brasil, o Verdão perdeu nas oitavas de final para o Atletico-MG, que jogou com time misto.
  • No ano do centenário, a torcida deixou os problemas da equipe para comemorar. O Palmeiras fazia 100 anos de histórias maravilhosas e grandes conquistas.
  • Palestra Itália reabriu as portas, agora com nome de Allianz Parque, o Verdão inaugurou o novo estádio com uma derrota dolorida para Sport por 2×0
  • Verdão se salva do seu terceiro rebaixamento graças ao seu rival Santos, que venceu o Vitória fora de casa.

2015- Agora vai?

Time Base: Prass, Lucas, Jackson, Vitor Hugo, Zé Roberto, Gabriel, Arouca, Robinho, Dudu, Gabriel Jesus e Barrios

Técnico: Oswaldo de Oliveira / Marcelo Oliveira

Goleadas Sofridas: 4/10/2015 – Chapecoense 5 x 1 (Brasileiro)

O Verdão começou o ano com tudo, Contratou Alexandre Matos como diretor de futebol, Cícero souza como gerente de futebol e mais 25 jogadores, entre eles Zé Roberto, Dudu (depois de um ‘chapéu’ em são Paulo e Corinthians) e Arouca.

Com a euforia de seu torcedor, Paulo Nobre explicou que a crise financeira do clube estava estabilizada, e com o ‘boom’ do programa Avanti, o verdão poderia andar com as próprias pernas.

  • O início de ano do verdão foi muito bom, com Allianz Parque lotado em quase todos os jogos, não poderia ser diferente, classificado para as semifinais, pegou o Corinthians fora de casa e se classificou nos pênaltis com um brilhante jogo de Fernando Pras que defendeu duas cobranças. Estaria apenas o Santos no caminho do verdão até a taça.

Na final, o jogo foi emocionante tanto no Allianz Parque como na Vila Belmiro, um verdadeiro clássico, Palmeiras saiu na frente no primeiro jogo com 1×0 com direito a pênalti perdido por Dudu. No segundo jogo, na Vila Belmiro, o Verdão foi derrotado por 2×1 e viu o Santos ser campeão nos pênaltis.

  • Oswaldo de Oliveira é demitido do clube após uma campanha ruim no início do Brasileirão. Para seu lugar, foi contratado Marcelo Oliveira, atual bicampeão Brasileiro pelo Cruzeiro.
  • Na Copa do Brasil, o Verdão foi imbatível, em jogo emocionante em que todos davam o Santos como favorito, o verdão desbancou a todos e foi campeão novamente do torneio.

Numa final inédita com dois paulistas, o Verdão perdeu o primeiro jogo por 1×0 na Vila Belmiro e ainda viu Gabriel perder um pênalti que explodiu a trave de Prass, mas era pouco para o Palmeiras, o jogo no Allianz Parque seria a consagração do ano.

No jogo de volta, o Verdão viu sua torcida fazer uma maravilhosa festa para a comemoração do título. Com uma partida impecável, o Palmeiras dominou o Santos e ganhou o jogo por 2 x 1 -novamente a partida seria disputada nos pênaltis. Com novo show de Prass, o verdão sagrou-se campeão da copa do Brasil e se classificou para a Libertadores.

  • No Brasileirão, o Verdão terminou em 9° lugar com péssimas atuações do time, contestando assim o então trabalho do técnico Marcelo Oliveira

2016- A inconstância

Time Base: Prass, Lucas, Roger Carvalho, Vitor Hugo, Zé Roberto, Thiago Santos, Jean, Robinho, Dudu, Gabriel Jesus e Barrios

Técnico: Marcelo Oliveira

2016 começou animado para o time de Marcelo Oliveira, com sua tão sonhada pré temporada feita, todos pensavam e davam o verdão como favorito a todos os títulos do ano, mas parece que Marcelo Oliveira esqueceu como é treinar uma equipe, e no Campeonato Paulista vem dando um vexame atrás do outro, perdendo para Linense e Ferroviária em casa.

O Verdão, até agora, não mostrou o investimento feito e gera desconfiança de sua torcida para a Libertadores. Marcelo Oliveira pode ser demitido caso não vá bem na Libertadores.