Opinião: A cobrança deve mesmo ser maior no Palmeiras

Ninguém investiu e gastou tanto nos últimos anos que o Palmeiras. O Verdão que tem um ótimo CT, hoje também tem um estádio TOP. Além de ter essa estrutura de clube mundialmente grande, o investimento em profissionais considerados de primeira linha (caros), como diretor de futebol, treinadores e jogadores são feitos de forma constante.

LEIA MAIS:
Mauro Cezar Pereira cita rebaixamento e responde torcedor do Vasco que criticou Tite
Cuca e Marcio Araújo roubam a cena com declarações que deram o que falar
Narrador Luis Roberto conta momento marcante de sua carreira e melhor ataque que viu
Site lista atletas de Fla e Flu entre 9 “talentos secretos” da América do Sul
Muricy afirma que treinar o Flamengo é realmente diferente e confia em títulos

 

O Palmeiras já viveu anos de aperto, de rebaixamento, de campanhas ruins, mas em alguns desses anos, poderíamos questionar a qualidade da comissão técnica, do elenco, ou alguns outros problemas.

Desde o início da última gestão, muita coisa mudou. Dinheiro não é problema desde que Paulo Nobre assumiu a presidência. De lá para cá o clube fez um investimento alto para trazer um diretor de futebol, que justiça seja feita, tinha sido campeão brasileiro seguidamente com o Cruzeiro.

Alexandre Mattos, que no Cruzeiro foi elogiado também por olhar o mercado e buscar bons jogadores que, até então, não tinham alto custo, como Ricardo Goulart e Everton Ribeiro.

Já no Palmeiras, o diretor, com dinheiro, investiu pesado e muitas vezes em situações questionáveis, como de trazer muitos jogadores, com custo elevado, para mesma posição.

Podemos lembrar que o Verdão contratou por volta de 33 jogadores desde janeiro do ano passado e mesmo assim não conseguiu manter uma regularidade, a qual clubes com muito menos investimento, mantiveram. Nesse tempo, alguns técnicos passaram pelo comando do time, alguns com salários altos, como Oswaldo de Oliveira, Marcelo Oliveira e agora Cuca.

Cuca que mal chegou e atestou que o clube precisa trazer ainda mais jogadores: “Não adianta falar que temos um super time, temos um bom time, que requer ajustes e tem que ter esses ajustes. Vou ter uma conversa com Alexandre (diretor de futebol) e com o presidente em cima disso, mas eu assumo toda responsabilidade da derrota (…). O Palmeiras tem que se unir, se fortalecer, tem que entender que tem que melhorar com que tem aqui e trazer mais jogadores para fortalecer e buscar título, que não vai ser de uma hora para outra, com mágica.” – disse o treinador.

A pergunta que deve ser feita. A rotina vai continuar? Se Cuca não for bem? Troca de técnico, o que chega atesta que falta jogador e contrata, contrata, contrata…. Será mesmo esse o problema, falta de jogador?

O clube fez investimentos caros, onerando a folha salarial. Podemos dar o exemplo em duas posições. Meio de campo e ataque. Para o ataque o Verdão tem jogadores com salários acima da média nacional, como Lucas Barrios, Dudu, Rafael Marques, Erik… Sem contar com Alecsandro, Cristaldo, Gabriel Jesus e Luan.

Entre volantes e armadores, a maioria veio contratada desde o ano passado, muitos com salários altos também: Arouca, Jean, Rodrigo, Gabriel, Moisés, Robinho, Allione e Régis. Isso sem contar quem dificilmente joga, como Cleiton Xavier e Fellype Gabriel.

Em qual outro clube temos uma reunião de tudo falado aqui? Ótimo CT, Estádio de “primeiro mundo”, diretor de futebol caro, técnicos caros, muitas contratações e diversos jogadores caros para mesma posição.

Por isso tudo, a conclusão é: A cobrança deve mesmo ser maior no Palmeiras.

 

Veja também:

14 opções de zagueiros para seu time se reforçar em 2016.
Veja brasileiros que atuam na Europa e poderiam ser repatriados.
11 opções de volantes para seu time se reforçar em 2016.

Foto: Divulgação

Curtiu essa matéria? Siga o autor no Twitter: @allanmadi