Opinião: A demissão de Márcio Ribeiro e a ingratidão do futebol brasileiro

Crédito da foto: Reprodução/Facebook oficial do Água Santa

O fruto de um bom trabalho deve ter no mínimo reconhecimento. Na noite da última sexta, a diretoria do Água Santa se reuniu com Marcio Ribeiro e decidiu demiti-lo alegando que o clube precisa de mudanças, o que foi uma falta de consideração mesclado com falta de respeito.

LEIA MAIS:
Após goleada sofrida, Água Santa troca de técnico pela primeira vez na sua história

O presidente do clube Paulo Sirqueira, disse que no futebol é preciso haver mudanças visando buscar resultado positivo, isso de fato está ligado ao mundo da bola, o que não dá pra entender é desprezar um excelente trabalho, que foi os três acessos consecutivos por onze rodadas do paulista.

Está certo que o clube não vem apresentando bom desempenho em campo, está com 36% de aproveitamento ocupando o 3º lugar do Grupo D com 12 pontos. Mas será mesmo que a solução do mau rendimento em campo é culpa do técnico? Isso é a prova de que o futebol brasileiro é ingrato não só com os clubes grandes.

O objetivo do Água Santa é permanecer na elite do Paulista e para isso é preciso somar no mínimo 18 pontos. Faltando quatro rodadas para o término da primeira fase o Netuno tem pela frente Palmeiras, Ituano, Ponte Preta e fecha com o São Bernardo.



Sou estudante de Comunicação Social - Jornalismo, na FAPSP. Apaixonado por futebol. Prazer, sou o Rubens Rodrigues.