Opinião: Palmeiras tem um oceano de problemas. Cuca vai dar jeito?

Palmeiras
César Greco / Palmeiras / Divulgação

O Palmeiras escreveu no último domingo uma das páginas mais lamentáveis de sua história ao ser goleado pelo modesto Água Santa (4 a 1), em Presidente Prudente, pelo Paulistão. Foi a quarta derrota seguida sob o comando de Cuca.

LEIA MAIS:
Neto culpa Paulo Nobre pela má fase do Palmeiras e alerta contra o rebaixamento 
Jornalista faz brincadeira com superstição de Cuca

O alviverde voltou a expor vários problemas recorrentes neste início de temporada. O principal deles talvez seja a fragilidade defensiva. Dois dos gols do Netuno vieram da bola aérea. Os zagueiros bateram cabeça. O lateral-direito Lucas teve mais uma atuação medonha. Deixou uma avenida no lado direito do campo. Everaldo aproveitou uma das falhas de posicionamento do jogador para marcar o segundo gol do Água Santa.  O camisa 2 nem voltou do intervalo. Impressionante a sua queda física e técnica em 2016. Foi um dos melhores laterais – quiçá o melhor na temporada passada.

Quero deixar uma menção especial a Edu Dracena. O zagueiro tem um currículo excelente, sendo campeão por todos os clubes pelos quais passou, porém, não tem mais condições de ser titular. É lento. O fim de carreira se aproxima. Não consegui entender a sua contratação ainda no final de dezembro já que ele vinha sendo reserva no Corinthians, onde nunca foi unanimidade.

Outro problema é a instabilidade emocional. O Palmeiras se abate demais quando sofre gol. Contra o time do ABC Paulista não foi diferente. O clube precisa recorrer a um psicólogo o mais rápido possível.

O que também assusta é a desorganização tática do time. Já vinha sendo assim com Marcelo Oliveira. Até o momento, Cuca não mudou o panorama. O que complica é a falta de tempo para treinamentos. O Palmeiras tem atuado quase sempre aos meios e fins de semana.

Falta criatividade no meio de campo. Está aí um dos grandes erros do diretor Alexandre Mattos, que contratou jogadores em baciada, porém, se esqueceu que o time carece de uma meia de ligação. Poderia ser Cleiton Xavier contratado em 2015, porém, ele não consegue jogar devido a sucessão de problemas musculares. Régis, ex-Sport, um dos reforços mais recentes, ainda não mostrou nada de interessante. Parece estar sentindo o peso de uma grande camisa. Robinho teve uma ótima temporada em 2015, porém, está longe de ser um armador ideal para uma longa temporada. Cuca vai precisar encontrar soluções no elenco. O Palmeiras tem criado muito pouco até contra clubes que têm como único objetivo lutar contra a degola.

A 12ª rodada do Paulistão foi um desastre para o Verdão, que caiu da terceira posição do grupo B para a lanterna e além do mais se aproximou perigosamente da zona do rebaixamento. É o 13º no geral, apenas três pontos à frente do Oeste, primeiro clube do Z-6.

Na Libertadores vive situação delicada. Será eliminado na próxima rodada se perder para o Rosário Central, no Gigante Arroyito.

Cuca terá muito trabalho. Tenho muitas dúvidas se ele vai conseguir resolver os problemas.



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)