Por onde anda… William Andem? Ex-Cruzeiro agora tem restaurante

William Andem foi um carismático goleiro que chegou ao Cruzeiro em 1994, vindo diretamente de seu país natal, Camarões. “Eterno reserva” de Dida durante sua passagem por Minas Gerais, Anem ganhou o carinho da torcida que gosta do lado alternativo do futebol. 20 anos depois de sua passagem pelo clube, por onde ele anda?

Felipe Noronha
Jornalista esportivo.

Leia também: Deivid indica time para o duelo adiado contra o Cruzeiro
Saiba quando Cruzeiro e Galo farão clássicos pelo Brasileiro

Ele atuou em cerca de 40 jogos pela Raposa, mas ficou marcado por um lance: uma briga com Euller e Gutemberg em um clássico contra o Atlético-MG. No lance, ele de um pontapé em Euller e Gutemberg foi defender o companheiro – acabou agredido por andem também.

Em entrevista ao portal SuperEsportes em 2015, Andem lembrou o caso: “A torcida do Cruzeiro sempre me fala daquela briga. Mas eu e Gutemberg fizemos as pazes logo depois do jogo.”

Na mesma ele elogiou Dida, o qual chamou de irmão: “Nunca tive uma relação tão boa com um goleiro quanto com Dida.”

Além disso, explicou por que usava uma camisa amarela: “Quando cheguei ao Cruzeiro, ouvi falar que o Raul (Plassmann) usava camisa amarela. Gostei da história, eu ainda não conhecia o Raul, então comecei a usar. Foi muito legal porque a camisa ficou bonita e muitos torcedores gostaram.”

Após sua passagem pelo Cruzeiro, o camaronês, que esteve como reserva na Copa do Mundo de 1998, passou pelo Bahia por um ano e partiu para Portugal, ficando por 10 anos no Boavista. aos 40 anos, em 2008, se aposentou pelo pequeno Feirense, também de Portugal.

Voltando para Camarões, o ex-goleiro abriu um restaurante – uma churrascaria -, e é vice-presidente do Douala, seu clube de coração e time pelo qual foi revelado.