Joel marca, mas “Lei do Ex” empata clássico entre Santos e São Paulo

Crédito da foto: Ivan Storti/Santos FC

O Santos mostrou que sobrevive no ataque sem Ricardo Oliveira e Gabriel, que estão com a seleção, pois Joel é capaz de manter o nível de atuação na frente. Mas a defesa não soube aguentar a bola aérea, que tanto prejudica o time há anos, e também a chamada “Lei do Ex”: levou gol de Alan Kardec e o clássico entre Santos e São Paulo terminou empatado na noite deste domingo: 1 a 1.

Leia também: Dracena ou David Luiz? Zagueiro erra em três gols do Água Santa

O resultado é ruim para o Santos, que empata em 23 pontos com o São Bento, mas cai para a segunda posição do Grupo A, ficando atrás no saldo de gols e, no momento, indo jogar em Sorocaba a partida das quartas de final. Já o São Paulo se mantém na liderança do Grupo C, também no saldo, empatado em 18 pontos com o Audax.

1° tempo – Poucos chutes, mas Santos cria mais e tem gol anulado

O jogo começou pouco animado na Vila Belmiro. Com o São Paulo em péssima fase e sem seu principal jogador no ano, Ganso, suspenso, e com o Santos sem cinco titulares, com as seleções olímpica e principal, os times demoraram a “embalar” no clássico.

Quando o jogo ficou mais solto, foi o Santos que criou as melhores oportunidades. A principal ocorreu aos 33 minutos: Rafael Longuine, substituto de Lucas Lima, chutou de esquerda da entrada da área; a bola desviou na defesa e encobriu Denis, encontrando o travessão; Joel ainda tocou para o gol, mas o camaronês estava impedido.

O São Paulo preferiu apostar em marcação alta, pressionando o Santos quando a bola estava com os zagueiros do rival. Lucas Veríssimo foi o que mais sofreu, mas o São Paulo não conseguiu aproveitar.

2° tempo – Camaronês faz golaço, mas “Lei do Ex” surge com Kardec

O primeiro a assustar foi o São Paulo: aos 10 minutos, Daniel Freitas arriscou da entrada da área e acertou a rede pelo lado de fora do lado direito de Vanderlei, assustando a torcida da casa na primeira boa chance do Tricolor.

Mas isso só ajudou a acordar o Santos: logo em seguida, aos 13 min., Joel recebeu de Léo Cittadini na velocidade dentro da área, ganhou de Maicon e bateu forte de esquerda, no ângulo – um golaço do camaronês.

Para conquistar de vez a torcida, fez o que o santista gosta, aliás: dancinha na comemoração.

Aos 18 min., quase um golaço: Paulinho recebeu pelo alto e deu uma meia-bicicleta, forte e bem colocada. Denis fez uma linda defesa para evitar o 2 a 0. O São Paulo sentiu a sequência – demorou para voltar a criar chances, pouco passando do meio de campo até os 35 min. de jogo. Enquanto isso, atrás, Lugano sofria na velocidade contra Neto Berola, aposta de Dorival Jr. na segunda etapa. Para sorte do zagueiro uruguaio, Berola errou tudo que tentou após ganhar na corrida. E foram essas chances desperdiçadas que prejudicaram o Santos: aos 37 minutos, Lucas Fernandes cobrou bem escanteio e Alan Kardec empatou, de cabeça.

O Santos ainda tentou jogar no abafa, mas não conseguiu. O São Paulo controlou o jogo e manteve o empate.

Sequência

A 13ª e antepenúltima rodada do Paulista ocorre já no próximo meio de semana. O primeiro a entrar em campo é o São Paulo, que joga fora de casa contra o Linense, às 19h30 de quarta.

O Santos tenta recuperar a liderança do Grupo A na Vila Belmiro: faz o último jogo da rodada na quinta-feira, às 21h30, contra a Ferroviária.

 



Jornalista esportivo.