Visão da Arquibancada: Lucas joga sem vontade e não pode ser titular do Palmeiras

Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

O Palmeiras foi um caos generalizado na derrota para o Red Bull Brasil, na quinta-feira (24), no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista. Nada funcionou, mas houve um fator que conseguiu se destacar na ruindade do Verdão em campo. Vi a partida no estádio, e era nítido como o lateral Lucas conseguiu ser um dos piores nomes em campo. 

LEIA MAIS
CUCA SE DIZ CONSCIENTE DOS PROBLEMAS DO PALMEIRAS

Fernando Prass saiu errado algumas vezes, Edu Dracena falhou, o ataque não funcionou, mas Lucas ganhou um destaque negativo maior num todo dos 90 minutos. Péssimo, lento, fora de órbita, agia como se o Palmeiras estivesse ganhando. Recuava bolas para Prass, ou para a zaga, quando o time precisava sair rapidamente. Parecia sem vontade alguma de armar ataques.

Com o meio-campo obstruído pelo bom sistema defensivo do Red Bull Brasil, e tendo na outra lateral simplesmente Egídio, o autor de fortes emoções, coube ao Palmeiras jogar pelo lado direito do campo. Só faltou um jogador com vontade para isso. Lucas e Robinho trocavam passes de um jeito que pareciam estar segurando um resultado positivo. Não entendiam a importância do jogo, ou simplesmente não se importavam com ele.

A torcida se irritou praticamente o tempo todo com Lucas, que em nenhum momento deixou de agir dessa maneira. Em um lance já nos minutos finais, o lateral pegou uma sobra dentro da área e puxou a bola de volta para a lateral do campo, levando a mais xingamentos e a uma ira imensa dos palmeirenses que não aceitavam mais um tropeço como mandante.

Já disse uma vez e repito: Lucas não tem uma sombra no elenco atual e provavelmente “sentou em cima” disso. O Palmeiras, famoso por contratar aos montes, deixou sua lateral-direita completamente deficiente. Isso ainda vai dar muitos mais problemas.



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.