Dirigente do Palmeiras aponta problemas de grupo como motivo da saída de Robinho

Palmeiras e Cruzeiro anunciaram pegaram suas torcidas de surpresa e anunciaram na na noite desta terça-feira (26) uma troca envolvendo a saída de Lucas e Robinho do time alviverde por Fabrício e Fabiano, da Raposa.

Danielle Barbosa
Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Cesar Greco / Fotoarena

LEIA MAIS:
7 jogadores que o Palmeiras não pode nem cogitar negociar com clubes rivais
5 opções bem melhores que Fabrício e Fabiano que o Palmeiras poderia ter trocado com o Cruzeiro
Rafael Marques quase foi envolvido em troca-troca de Palmeiras e Cruzeiro

Nesta quarta, o técnico Cuca veio a público explicar o que motivou a negociação e garantiu saber o que está fazendo. “Hoje nem era meu dia de dar entrevista. Estou vindo em consideração ao torcedor para dar as explicações devidas. Sei o que estou fazendo. Quando se faz trocas, elas não vão contentar a todos, vai ter críticas. Mas não me incomodo com isso, me incomodo com o resultado final”.

Apesar das explicações de Cuca, a história da negociação pode ter outro motivo. Segundo informações da Rádio Bradesco Esportes FM, um dirigente do clube teria informado que Robinho “não era bom de grupo” e questionou o salário de alguns jogadores, como Jean e Zé Roberto.

Se verídica, a informação do dirigente palmeirense confirma o que foi dito em um suposto áudio de Whatsapp que teria fazado na web, em março.

No áudio, a pessoa fala sobre um suposto racha no elenco protagonizado por três grupos. “O elenco está rachado em três, o Zé Roberto tem o grupo dele, o Fernando Prass tem o dele, e o Robinho tem o outro”. Em outro momento, a pessoa diz que a renovação do Rafael Marques também causou polêmica.

Na ocasião, o lateral-direito Lucas, um dos que deixou o Palmeiras, desmentiu todo conteúdo do áudio. Nas redes sociais, alguns torcedores citaram que o autor do áudio seria o repórter Pisani, da ESPN, mas em seu perfil no Twiiter, o jornalista Gian Oddi negou a informação.

“Não existe nenhum Pisani repórter da ESPN. Não sei qual a intenção, mas gravação que tá rolando não é verdadeira (na assinatura pelo menos)”, escreveu Oddi, que é editor-chefe do site ESPN.com.br e comentarista do canal fechado.