Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Dudu terá que encarar tribunal antes de estreia do Palmeiras no Brasileirão; entenda

Um ano após agredir o árbitro Guilherme Ceretta de Lima na final do Campeonato Paulista, que resultou em expulsão no jogo decisivo contra o Santos, o atacante Dudu, do Palmeiras, voltará a ficar frente a frente com o agora ex-juiz, mas no tribunal. Ceretta move ação por danos materiais contra o camisa 7 do Verdão, no valor de R$ 78 mil.

Redação Torcedores
Textos publicados pela Redação do Torcedores.com.Contato: redacao@torcedores.com

Crédito: Crédito da foto: Getty Images

LEIA TAMBÉM:
Mercado da bola: 15 jogadores do Paulistão que poderiam reforçar o Palmeiras
Palmeiras: Cristaldo não deixa barato e provoca santistas na Internet; confira
Palmeiras terá quatro jogos na Globo nas 11 primeiras rodadas do Brasileirão
Nova camisa do Palmeiras já está à venda na Internet; veja preço

A ação conciliatória entre Dudu e Ceretta está marcada para a próxima terça-feira, 3 de maio, 11 dias antes da estreia do Palmeiras no Campeonato Brasileiro diante do Atlético-PR. A audiência vai ocorrer em Votorantim, cidade onde residia o ex-árbitro antes de partir para os Estados Unidos. Se não houver acordo, o processo seguirá em outras audiências, até decisão do juiz do caso.

RELEMBRANDO…
A confusão entre os dois começou quando Dudu empurrou o árbitro pelas costas, após ter sido expulso em lance com Geuvânio, do Santos, em jogo na Vila Belmiro.

Na ocasião, o atacante acabou punido pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-SP) com 180 dias de suspensão por agressão. Meses depois, porém, o Palmeiras conseguiu reduzir a punição do Dudu para apenas seis jogos, cumprida no Campeonato Brasileiro, o que revoltou Ceretta.

Após o ocorrido, o árbitro chegou a dar declarações à imprensa dizendo que o comportamento do TJD-SP significava mais um retrocesso no futebol brasileiro, algo que ele próprio classificou na época como “outro 7 a 1”, fazendo alusão ao vexame histórico da seleção brasileira na semifinal da Copa do Mundo de 2014.

Não satisfeito, Ceretta entrou, finalmente, com uma ação na Justiça Comum. Pouco utilizado em 2015 – após a final do Paulistão, o ex-juiz apitou apenas uma partida no Campeonato Brasileiro e partiu rumo aos Estados Unidos para trabalhar como treinador de uma escolinha de futebol. Ele não faz mais parte do quadro de árbitros da CBF.