Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Opinião: um iluminado trio BBC se supera no Camp Nou

Dirão que “o trio BBC não é subestimado, apenas é comparado com um trio que entrará para a história” – falando sobre o trio MSN. Messi, Suarez e Neymar não podem entrar nesta discussão, eles são mesmo um caso fora do comum e fora de série, a discussão é o valor que se dá a Bale, Benzema e Cristiano Ronaldo e o que os três fizeram na partida deste sábado (2).

Matheus Camargo
Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), colaborador do Torcedores.com desde 2016. Radialista na Paiquerê 91,7.

Crédito: Reprodução/Real Madrid

LEIA MAIS:
ANCELOTTI SURPREENDE AO COMPARAR BARCELONA E REAL MADRID

Cristiano Ronaldo dispensa comentários e todos sabem o porque. São 4 Chuteiras de Ouro, 3 Bolas de Ouro, 9 títulos nacionais e duas UEFA Champions League (incluindo títulos pelo Manchester United). Mas além de todas as premiações individuais, neste sábado (2), no Camp Nou, o gajo teve atitudes que poucos reparam e que valem muito quando se trata do camisa 7 do Real Madrid. Cristiano Ronaldo, não em todas as oportunidades, mas em boa parte das que foi exigido, acompanhou o lateral adversário (seja Daniel Alves, quando esteve pela esquerda, ou Jordi Alba, quando esteve pela direita) até o último centímetro de campo. Mesmo que isso pareça obrigatório para um atleta que atua pelos lados do campo, não é a obrigação de Cristiano. No Real Madrid, ele alcançou um status em que não é necessário que ele se sacrifique ou desperdice piques e seu fôlego – já que é um atleta de 31 anos – para acompanhar um lateral. Hoje, agiu de maneira diferente.

Ronaldo foi participativo na criação das jogadas, tanto quanto Karim Benzema e Gareth Bale. O francês – autor de um golaço no Camp Nou – já teve partidas tecnicamente melhores e não foi um dos diferenciais da equipe de Madrid na partida. Mas se no meio da semana, o ex-treinador do Real Madrid, Carlo Ancelotti, disse que “ele poderia estar marcando mais gols”, quando o comparou com Suarez, Karim respondeu à altura. Mesmo errando passes bobos, marcou um gol para ser lembrado por muito tempo, de voleio, foi decisivo e empatou uma partida que parecia controlada pelo Barcelona após o gol de cabeça de Piqué.

Porém, o dono da partida foi o único do trio BBC que não marcou no Camp Nou – na verdade, sim, mas o gol de cabeça não foi validado de forma bizonha pelo árbitro. Gareth Bale é contestado em todas as comparações que se faça. O jogador mais caro do mundo sofre com lesões e não é decisivo como já foi na época do Tottenham – muito pelo egocentrismo de Ronaldo, sim, mas também pelos problemas físicos do galês. Porém, neste sábado, em Barcelona, Gareth Bale fez de tudo um pouco. Se Marcelo foi tão efetivo ofensivamente, muito se deu pela cobertura do britânico, assim como fez com Carvajal. No último terço da partida, passou a se lançar mais a sua posição – a ponta direita – e resolveu. Após cruzamento de Cristiano Ronaldo, ganhou limpo, no alto, de Jordi Alba e, por algum motivo não explicado, o árbitro da partida anulou o gol. Poucos minutos depois, o capitão do Real Madrid, Sergio Ramos – descontrolado em campo – tomou o segundo cartão amarelo e foi expulso. Gareth Bale, então, passou a monopolizar a ação ofensiva dos merengues. Em uma jogada de linha de fundo, arrancou e, de pé direito – o ruim – acertou bola milimétrica no peito de Cristiano. O português cortou Daniel Alves e virou a partida.

O papel tático do trio BBC nesta tarde (no Brasil, noite na Espanha), foi uma coisa poucas vezes vista por um conjunto de muito talento e pouco comprometimento – uma das críticas aos três craques. Se a vitoria fosse do Barcelona, todos esqueceriam das vezes em que Ronaldo voltou ao fundo para marcar ou as coberturas que Bale deu aos laterais do Real Madrid. Esqueceriam também um Benzema decisivo e com a melhor media de gols incluindo os dois trios, BBC e MSN, são 21 gols em 22 jogos.

Há de se destacar a atuação do brasileiro Casemiro, um dos responsáveis pelo 0x0 na primeira etapa, jogou como um veterano no Camp Nou. O brasileiro anulou, nada mais, nada menos, que Lionel Messi por boa parte da partida, coisa que o meio-campo do Barcelona não fez com o trio do clube da capital espanhola.

O trio do Real Madrid esteve em uma noite iluminada na Catalunha. O comprometimento a que se prestaram na partida pode ser a peça-chave para um fim de temporada digno e para a única chance de título que resta ao clube: a Liga dos Campeões.