Mercado da Bola: como o Palmeiras errou nas contratações de 2016

O Palmeiras contratou nove jogadores para 2016 que já tiveram a oportunidade de jogar ou foram preteridos pelos treinadores. Além destes, outros dois chegaram numa troca envolvendo Verdão e Cruzeiro. A torcida alviverde anda meio desconfiada, até porque – pelo menos até o momento – a maioria dos reforços decepcionou. Como que o clube errou nas contratações?

Rogério Lagos
Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: César Greco/Ag. Palmeiras

LEIA MAIS
Troca no Palmeiras pode ter sido por indisciplina
Allione passa por cirurgia e desfalca o Palmeiras no início do Brasileirão
Palmeiras iguala Corinthians na média do ibope do Paulistão 2016

“Errou feio, errou rude”, diria os mais bem-humorados palmeirenses, mas a situação, infelizmente, não está para brincadeira. Das nove contratações do Palmeiras até o momento (sem contar os dois jogadores que vieram do Cruzeiro), apenas Jean é titular absoluto da equipe, mas passou a ser aproveitado somente pelo técnico Cuca. Róger Guedes, que veio do Criciúma, pode ser considerado “neutro” por ter chegado recentemente e entrado bem nas partidas, inclusive com uma assistência.

Os demais são reservas ou até mesmo nem estrearam ainda. O volante Rodrigo, que foi contratado junto ao Goiás, ainda não disputou nenhuma partida pelo Verdão. O atleta se machucou na pré-temporada e acabou preterido nas inscrições para o Paulistão e Copa Libertadores. Outro que ainda não jogou é o goleiro Vágner, contratado do Avaí para ser reserva de Prass, na vaga que era de Aranha.

Já os outros estrearam, tiveram suas chances e não agradaram. O zagueiro Edu Dracena, por exemplo, talvez seja uma das maiores decepções, ao lado de Erik. Enquanto o defensor chegou com a expectativa de titularidade, esbanjando experiência, o veloz atacante mal joga e te se mostrado “fominha” quando em campo. Roger Carvalho, outro zagueiro, até gol contra já fez.

Outras contratações foram para o meio-campo: Moisés e Régis. O primeiro até entrou bem no time, fez um torneio amistoso no Uruguai regular, marcou gol, mas se machucou e segue fora do time. Já Régis, contratado junto ao Sport como destaque, mal teve oportunidades e já deve ser emprestado. Bahia e Criciúma seguem como principais interessados.

Dos nove jogadores citados, apenas dois serem “isentados” (mesmo que com ressalvas) é sinal de um planejamento um tanto quanto falho na visão de palmeirenses mais críticos. Se analisarmos os valores envolvidos na negociação de Erik (cerca de R$ 14 milhões), no mal aproveitamento de Régis e a má condição física (e até técnica) dos zagueiros Edu Dracena e Roger Carvalho, podemos concluir que a grande maioria das contratações do Verdão em 2016 deram errado até o momento.

Foto: César Greco / Palmeiras / Divulgação