Opinião: No Morumbi, São Paulo sobra em noite dos renegados

O São Paulo goleou o Toluca dentro de casa, com estádio lotado, novo recorde de público no ano, e com um primeiro tempo alucinante. Foi 4 a 0 com direito a gols dos jogadores contestados pela torcida: Michel Bastos e Centurion, que deixaram o Tricolor muito próximo das quartas de final da Libertadores, contrariando todas as expectativas.

Rodrigo Nascimento
Colaborador do Torcedores.com, amante dos esportes americanos e do automobilismo.

Crédito: Crédito da foto: Facebook Oficial do São Paulo

LEIA MAIS:
EM NOITE ILUMINADA DE CENTÚRION E FESTA NO MORUMBI, SÃO PAULO GOLEIA O TOLUCA
AS CINCO RAZÕES PARA A GOLEADA DO SÃO PAULO SOBRE O TOLUCA

Foi o melhor primeiro tempo do São Paulo no ano. Ganso comandou o meio de campo com maestria, Michel Bastos e Kelvin não deixavam os laterais adversários saírem do campo de defesa, e junto com Centurion, pressionavam a saída de bola do Toluca. A equipe mexicana criou apenas um lance perigoso em todo o primeiro tempo, em uma cobrança de escanteio que acertou o travessão. O São Paulo teve duas bolas na trave, em chutes de Kelvin, e ainda no primeiro tempo fez dois a zero. O primeiro gol foi de Michel Bastos, aproveitando um cruzamento dentro da área e chutando no canto esquerdo do goleiro. O segundo, de Centurion, um golaço, um chute de dentro da área, que o goleiro Tavalera nada pôde fazer a não ser olhar.

Quem viu o São Paulo do primeiro tempo, jamais poderia associar esse time com o mesmo que realizou as incríveis façanhas de perder para o Strongest no Pacaembu e empatar com o Trujillanos na Venezuela. Aquele São Paulo, não conseguia intimidar o adversário, nem sequer dava três passes seguidos. Um time sem alma, sem garra, que os adversários pressionavam com facilidade. Mas o São Paulo que o Toluca encontrou no Morumbi era totalmente diferente. A ponto de que no final do primeiro tempo, além da vitória parcial por dois a zero e os dois chutes na trave, tinha 70% de posse de bola e 18 finalizações, contra 1 finalização dos mexicanos.

E quem achava que no segundo tempo teria mais, acertou. O São Paulo começou no mesmo ritmo que terminou o primeiro tempo, com Paulo Henrique Ganso comandando o meio de campo. Aliás, no terceiro gol, Ganso tabelou com Thiago Mendes dentro da área adversária e deixou o volante livre para marcar o gol. E ainda tivemos o quarto gol, novamente com Centurion, atuando dentro da área como um verdadeiro centroavante e espantando a má fase. Era a noite dos renegados, com um Morumbi em festa.

Se o começo do ano foi turbulento para o São Paulo, parece que a equipe comandada por Edgardo Bauza está encontrando o seu caminho. Michel, Centurion, Thiago Mendes, Wesley, todos esses atletas que tiveram um inicio de ano difícil no Tricolor, estão conseguindo se encaixar dentro do esquema tático que o Patón desenvolveu para o time. Ganso realmente está em sua melhor fase com a camisa Tricolor. A torcida, que muitos diziam que tinha abandonado a equipe, está comparecendo em bom numero no Morumbi. Talvez seja cedo dizer, mas cada vez mais, o sentimento do torcedor são paulino vai se tornando um só: o São Paulo voltou. Não foi o Soberano, o campeão, o Jason, nenhum desses citados que voltou. O São Paulo Futebol Clube voltou, ou pelo menos, encontrou o caminho para voltar a trilhar a estrada dos grandes clubes. É tudo que a torcida quer.