Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

PAPO TÁTICO: Por que o Corinthians de Tite ainda merece respeito

Por mais otimista que o torcedor corintiano seja, a expectativa não era das melhores para a disputa do Campeonato Paulista e da Copa Libertadores da América em 2016. A chamada “invasão chinesa” praticamente acabou com o time campeão brasileiro no ano passado levando Jadson, Renato Augusto, Gil e Ralf. Além deles, Vagner Love e Malcom deixou o Parque São Jorge rumo ao futebol francês. Eis que surge Tite. Utilizando contratações pontuais, mas sempre mantendo a sua filosofia tática e cobrando comprometimento dos seus atletas, o treinador do Timão conseguiu fazer com que a equipe mantivesse o nível do ano passado, com ótimas atuações e muitos gols. Foi assim na goleada em cima do RB Brasil, pelas quartas de final do Paulistão.

Luiz Ferreira
Produtor executivo da equipe de esportes da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, jornalista e radialista formado pela ECO/UFRJ, operador de áudio, sonoplasta e grande amante de esportes, Rock and Roll e um belo papo de boteco.

Crédito: Crédito da foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Leia mais ~> VISÃO DA ARQUIBANCADA: Fiel, o energético do Corinthians

Tite vem repetindo o esquema do título brasileiro do ano passado. E com praticamente o mesmo sucesso, diga-se de passagem. Com Giovanni Augusto iniciando a armação das jogadas pela direita, Lucca voando pelo lado oposto e Guilherme e Elias chegando por dentro, o Corinthians aniquilou o RB Brasil na tarde deste sábado, no Itaquerão. O usual 4-1-4-1 alternava velocidade e troca de posições no setor ofensivo (com o apoio de Fagner e Uendel nas laterais) com disciplina tática e dedicação na defesa. Três dos quatro gols de ontem nasceram de jogadas rápidas no contra-ataque, principalmente pelo lado direito, onde Fagner, Elias e Giovanni Augusto destroem as defesas adversárias com ótimas triangulações.

Nem mesmo a lesão do camisa 17 ainda no primeiro tempo diminuiu o ímpeto do Corinthians, que seguiu pressionando a saída de bola do RB Brasil com as suas linhas adiantadas e uma disciplina tática pouco vista no futebol brasileiro. Até mesmo o atacante André (conhecido há bem pouco tempo atrás como “André Balada”) tem demonstrado muito mais interesse nos jogos, participando da recomposição defensiva e fazendo o papel de pivô com extrema eficácia. Não é por acaso que o artilheiro da equipe no Paulistão é um reserva: Ángel Romero, com cinco gols. Esse jogo coletivo é uma das provas de que o Corinthians de 2016 ainda merece muito respeito por parte dos seus adversários.

Com linhas adiantadas, pressão na saída de bola e velocidade no setor ofensivo, o Corinthians atropelou o RB Brasil com autoridade. Destaque para as boas atuações de Elias, André e Fagner no 4-1-4-1 proposto por Tite. Campinho feito no Tactical Pad

Com linhas adiantadas, pressão na saída de bola e velocidade no setor ofensivo, o Corinthians atropelou o RB Brasil com autoridade. Destaque para as boas atuações de Elias, André e Fagner no 4-1-4-1 proposto por Tite. Campinho feito no Tactical Pad.

Leia mais ~> CORINTHIANS X RED BULL BRASIL: assista aos gols da classificação do Timão

Se fizermos uma comparação com a equipe do ano passado, veremos que Bruno Henrique, Guilherme, Lucca, André e Giovanni Augusto exercem as mesmas funções táticas que Ralf, Renato Augusto, Malcom, Vagner Love e Jadson. Já mencionamos isso outras vezes aqui na coluna PAPO TÁTICO: o que importa não é o desenho tático que você escolheu, e sim se seus jogadores têm condições de desempenhar as funções que você deseja. O resto dessa história é composto por treinamento, disciplina e dedicação. A atuação coletiva do Corinthians na vitória sobre o RB Brasil é a maior prova de que os jogadores compraram as ideias e o estilo de jogo proposto por Tite. As boas campanhas no Paulistão e na Libertadores da América falam por si só.

Mas existe um jogador merece destaque nessa goleada corintiana: o lateral-direito Fagner. Depois que da saída do meia Giovanni Augusto (por lesão) e da entrada de Alan Mineiro na equipe, o camisa 23 desempenhou um papel um pouco diferente daquilo que eu e você estávamos acostumados a ver nas partidas do Corinthians. Não era raro ver Fagner ocupando o último terço do campo, jogando quase como um ponta-direita à moda antiga, pressionando o lateral adversário e chegando como elemento surpresa. Revejam o segundo e o terceiro gol do Timão. Vocês vão ver que Fagner estava bem avançado com Elias jogando mais atrás, dando cobertura e iniciando as jogadas com qualidade e visão de jogo.

Com a entrada de Alan Mineiro no lugar do lesionado Giovanni Augusto, o lateral Fagner se transformou num verdadeiro ponta-direira e foi a grande arma ofensiva do Corinthians. Campinho feito no Tactical Pad.

Com a entrada de Alan Mineiro no lugar do lesionado Giovanni Augusto, o lateral Fagner se transformou num verdadeiro ponta-direita à moda antiga e foi a grande arma ofensiva do Corinthians. Campinho feito no Tactical Pad.

Leia mais ~> VISÃO DA ARQUIBANCADA: Corinthians dá aula tática em goleada

Além do apoio constante ao ataque, Fagner também se destaca na parte defensiva, mostrando qualidade e atenção na cobertura dos zagueiros e na marcação pelo setor. Pelo futebol que vem jogando desde os tempos de Vasco da Gama, não é exagero dizer que o camisa 23 merece uma chance na Seleção Brasileira, principalmente com a má fase de Danilo no Real Madrid. O meia Giovanni Augusto é outro que vem se destacando há tempos e merece ser observado com mais atenção pela comissão técnica do escrete canarinho. Como dissemos anteriormente, o lado direito do Corinthians possui um dos trios mais eficientes do futebol brasileiro na atualidade. E o grande responsável por esse sucesso é o técnico Tite.

A vitória sobre o RB Brasil no Itaquerão mostra que o Corinthians, mesmo com a saída de mais da metade do time campeão brasileiro no ano passado, ainda merece muito respeito. Não somente pelos valores individuais, mas pelas atuações coletivas e pela disciplina tática, fato que não costuma ser lá muito valorizado pela imprensa esportiva nos dias de hoje. Só os deuses do futebol sabem dizer se o Timão vai conquistar mais um título no Paulistão ou se ele vai chegar longe na Copa Libertadores da América. Mas, diante dos últimos resultados e das últimas atuações da equipe, ninguém pode negar que Tite e seus comandados ainda merecem muito respeito.