5 lições que o Santos precisa tirar da derrota para o Atlético-MG

Atlético-MG 1 x 0 Santos
Crédito da foto: Reprodução/ Flickr oficial do Atlético-MG

Neste sábado (14), o Santos fez sua estreia pelo Brasileirão 2016 na Arena Independência, em Belo Horizonte, e foi derrotado pelo Atlético-MG por 1 a 0. O Torcedores.com, então, resolveu listar cinco lições que o Alvinegro Praiano poderia aprender com o resultado negativo. Confira:

LEIA MAIS:
LESIONADO, ROBINHO ASSISTE A ATLÉTICO-MG X SANTOS EM CAMAROTE DO INDEPENDÊNCIA
EDUARDO “TATUA” MEIA DO SANTOS COM PISÃO; VEJA COMO FICOU

1- O clube precisa saber “virar a chave” e se concentrar no Brasileirão: Com o revés para o Galo, o Peixe chegou à 11ª estreia seguida sem vitória no Campeonato Brasileiro. Curiosamente, o time da Baixada brigou pelo título estadual, que sempre acaba no fim de semana anterior, em dez oportunidades nesse período (a exceção foi 2008, quando Palmeiras e Ponte Preta fizeram a final). A impressão é de que o Santos demora a entender que começou uma nova (e mais importante) competição, em que cada jogo é uma final.

2- É preciso haver vida fora da Vila Belmiro: No ano passado, o Alvinegro Praiano só venceu UM mísero jogo fora de seus domínios no Brasileirão, o que é inadmissível. Se tivesse vencido três (o que ainda é pouco para a sua grandeza), estaria classificado para a Libertadores de 2016). Em um campeonato longo de pontos corridos, de nada adianta ser imbatível em casa, se, fora, não soma pontos.

3- Já é hora de aprender a jogar sem os selecionáveis: Mais que hora, inclusive, até porque Lucas Lima e Ricardo Oliveira (que foram ausências contra o Galo), além de Gabriel (que jogou, mas pouco fez), ainda podem desfalcar o Santos em até nove rodadas. Lucas Lima é quem mais faz falta: sem o camisa 20, o Peixe não tem criação.

4- O elenco precisa ser fortalecido: Como já foi afirmado na análise do elenco do Santos, o grupo, apesar de já ser melhor que o do ano passado, ainda precisa de algumas reposições à altura. Caso contrário, o torcedor teme outra campanha para meio de tabela no Brasileirão.

5- Não se pode confiar totalmente na zaga: O gol do Galo aconteceu graças a uma falha de posicionamento de David Braz. Em outras partidas, Gustavo Henrique também já comprometeu o sistema defensivo. Conhecido pelo DNA ofensivo, o Peixe nunca foi conhecido por ter as melhores defesas, mas erros como esses podem comprometer um campeonato tão disputado como é o Brasileirão.

Concorda, torcedor? Deixe sua opinião!



Jornalista formado pelo Mackenzie (SP), pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Multimídias e pós-graduando em Assessoria de Comunicação e Mídias Sociais pela Anhembi Morumbi (SP). Apaixonado por esportes desde 1994.