Andrés Sanchéz confirma estratégia por naming rights e desmente dívidas da Arena

Crédito de imagem: Reprodução Sportv

Antes da estréia pelo Campeonato Brasileiro 2016, Andrés Sánchez, ex-presidente do Corinthians concedeu entrevista coletiva na Arena. O ex-mandatário do Timão revelou detalhes do naming rights e também chamou de mentiroso quem disse que a casa do Alvinegro possui dívidas.

LEIA MAIS:
CORINTHIANS X GRÊMIO: CONFIRA A ESCALAÇÃO OFICIAL DO TIMÃO
CORINTHIANS X GRÊMIO: VIDOTTO SAI DE MACA E CHORANDO APÓS SE LESIONAR NO AQUECIMENTO

Andrés Sánchez revelou que o naming rights está próximo de ser anunciado, apesar de considerar que o negócio realmente está com um atraso de mais de dois anos para ser concretizado. Para ele, a demora se deve a complexidade da negociação.

O ex-presidente do Timão também confirmou as especulações de que o nome da Arena será dado de acordo com a opinião do torcedor corintiano. O Torcedores.com já havia revelado os possíveis nomes em outra matéria. Veja clicando aqui.

“O Corinthians vai realmente anunciar. É uma coisa nova, é um negócio muito grande. Envolve muitas coisas. Não é que vai usar o nome (da empresa que está adquirindo o naming rights) ou não. Decidiram por o nome Arena Corinthians, ou outro nome que o torcedor escolher. No futuro será definido o que será feiro com esse nome. É um projeto muito inovador, que no futuro vários clubes grandes do Brasil vão copiar pois é um negócio com uma fonte de renda muito grande”, revelou Andrés.

Sobre os pagamentos de parcela na Arena, Andrés chamou de mentiroso quem informou que o Corinthians está com dívidas.

“Quem falou para vocês que está complicado pagar ? O Corinthians pagou todas as obrigações até março. É mentiroso quem falou que estamos com débito. Nós pagamos até março. Em março nós fizemos um novo pleito e a Caixa bloqueou os pagamentos enquanto se discute o que estamos pedindo.”

Andrés informou que o Corinthians pede para que seja prorrogado o prazo para o pagamento da Arena, assim como teriam feito outras arenas. Segundo informou o ex-mandatário, desde abril, os pagamentos estão congelados para que já contem o novo prazo e portanto não pode ser considerado atraso.

Crédito de imagem: Reprodução Sportv