Argel lamenta erros de finalizações do Inter

Inter
Ricardo Duarte / Internacional

O Inter não saiu do 0-0 com a Chapecoense na noite deste domingo, no Beira-Rio. A equipe colorada pecou nas finalizações, inclusive em uma cobrança de pênalti desperdiçada por Paulão no segundo tempo. Em coletiva, Argel Fucks comentou a situação.

LEIA MAIS
Inter perde pênalti e não sai do zero na estreia do Brasileirão
Internacional x Chapecoense: assista aos melhores momentos

O Inter dominou o jogo, com 60% de posse de bola contra 40% da Chapecoense. O colorado foi também o time que mais chutou a gol (10-8), teve mais chances reais de gols (4-0), foi também quem teve mais escanteios a favor (9-4), roubadas de bola (7-2) e desarmes (34-26). No entanto, não conseguiu reverter sua superioridade na partida em gols. Até mesmo um pênalti foi desperdiçado por Paulão.

Em coletiva de imprensa, o técnico Argel Fucks comentou a situação. “A partir do momento em que você tem a oportunidade, como a gente teve com o Aylon e com o Sasha, o pênalti, faltou fazer o gol. O adversário lutou com as armas que tem, o Alisson só fez uma defesa nos 90 minutos. Não é uma explicação, você tem que ser competente para matar o jogo e abrir o adversário. A gente viveu isso no Gauchão, na semifinal contra o São José. A gente precisa fazer o gol, a partir daí o adversário vai se abrir”, comentou.

O comandante colorado comparou o jogo contra a Chapecoense como uma partida de Gauchão, mas cravou pés no chão e muito trabalho para a sequência da temporada.

“Jogo difícil, duro, o adversário veio fechado. Parecia jogo do Gauchão. Claro que é um tropeço, você precisa fazer o dever de casa independente de quem é a equipe, já que os três pontos valem o mesmo contra a Chapecoense, contra o São Paulo ou contra o Corinthians. A gente tem o respeito, mas quando você não consegue o resultado é um tropeço. Faz parte do futebol. Se não conseguimos ganhar o jogo, já vão sete jogos sem tomar gol também. Não tem muito o que falar neste momento, é trabalhar”, finalizou.

Foto: Ricardo Duarte / Internacional