Ex-atleta protesta no Facebook contra organizadores do evento com tocha olímpica

Foto: Reprodução do Facebook de Gerson Victalino

Gerson Victalino mostra chateação com o fato de querer – e não poder – comprar a tocha olímpica que carregou em Belo Horizonte por um fato, digamos, tolo.

O ex-atleta do basquete, Gerson Victalino, postou nesta segunda-feira (17) um desabafo em sua página pessoal no Facebook, em que revelou contrariedade com o fato de não poder levar a tocha olímpica que ostentou por um trecho percorrido em sua cidade natal, Belo Horizonte (MG).

Victalino, que foi colega de equipe de Oscar, Marcel, Pipoca, Cadum, Guerrinha e outros renomados jogadores disse que tentou comprar o instrumento de condução do fogo olímpico, que anuncia a chegada dos Jogos Olímpicos Rio 2016, com abertura marcada para o dia 5 de agosto, no Estádio do Maracanã. Porém, ele não conseguiu ficar com a tocha que conduziu por um motivo estranho.

De acordo com suas palavras, ele teve a compra negada por simplesmente não ter um cartão de crédito da mesma bandeira que é uma das patrocinadoras da competição. O archote tem valor de R$ 1.985,00.

“Os 15 anos de serviços prestados a nação, não tem nenhum valor para aqueles que gerenciam nosso desporto”, disse.

“Tenho a certeza que em qualquer outro lugar do mundo seríamos tratados de outra forma e para completar falo de dezenas de ex-atletas que nem lembrados foram. Isso é um absurdo”, lamentou.