Expulso, Cuca critica a arbitragem: “Quando os árbitros erram, eles têm de ser suspensos também”

O péssimo desempenho de Leandro Vuaden foi, na opinião de Cuca, o destaque negativo da derrota do Palmeiras para a Ponte Preta por 2 a 1, neste sábado (21), em partida válida pela 2ª rodada do Campeonato Brasileiro. O técnico criticou a arbitragem que o expulsou após o treinador reclamar de uma falta que “não haveria existido”.

Redação Torcedores
Textos publicados pela Redação do Torcedores.com.Contato: redacao@torcedores.com

Crédito: Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

LEIA MAIS:

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

PONTE PRETA X PALMEIRAS: VEJA OS GOLS DA PARTIDA

MERCADO DA BOLA 2016: VEJA O RESUMO DAS ÚLTIMAS NEGOCIAÇÕES NO PALMEIRAS

Para Cuca, o lance de sua expulsão que envolveu Tchê Tchê, não foi justificável e além disso falou sobre o gol anulado de Gabriel Jesus.

“O Tchê Tchê deu um bico para trás, não tem como dar uma falta daquela. Eu não estou justificando, mas acho que é muito pouco para expulsar. Se for assim, o Vuaden tem de ser expulso também pelo gol mal anulado nosso. Se eu errei em reclamar falta, ele errou em anular o gol. Qual erro é mais forte?”, completou o comandante alviverde.

Inconformado com Vuaden, Cuca ainda falou que quando os árbitros erram também devem ser punidos. “Eu estou na Vila Belmiro, vou cinco metros para dentro, comemoro um gol no campo e sou expulso. Aí o Tchê Tchê dá um bico na bola, a bola segue para o meu defensor, ele dá falta, eu falo que não foi e sou sou expulso. É fácil justificar o erro assim. Quando eles erram, como o gol que ele anulou mal, eles têm de ser suspensos também. Por que usar o cartão como revólver? Que mal está fazendo? Que desrespeito tem? É fácil passar a responsabilidade por uma falta que não foi. Se foi falta o lance em que fui expulso, volto atrás. Se não, ele que tire o cartão que me deu”, disse em entrevista após a partida.

Cuca creditou a derrota ao primeiro tempo apagado do Palmeiras que levou dois gols e não esboçou reação. Os visitantes até começaram no ataque, mas após sair atrás do placar não conseguiu se recuperar e parou na defesa da Macaca. “O time não desesperou, mas não teve força de reação no primeiro tempo. No segundo teve, perdeu medo de tomar gol, buscou ficar com a bola no campo de ataque, mas o jogo não ficou propício para nós. A Ponte mereceu vencer pelo o que fez dos 14 aos 40 minutos do primeiro tempo”.