Marcelo Grohe fala sobre os protestos da torcida do Grêmio

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Insatisfeita com mais uma eliminação, torcedores do Grêmio recepcionaram os jogadores com muitas críticas e vaias no aeroporto de Porto Alegre após a derrota para o Rosario Central. A queda na Libertadores ligou o alerta no clube, que viveu dias difíceis até a estreia no Brasileirão de 2016. Neste domingo, o time de Roger Machado empatou em 0x0 contra o Corinthians, fora de casa.

LEIA MAIS:

Grêmio: cinco pontos positivos do empate contra o Corinthians na estreia

Cartola FC: saiba quantos cartoleiros se deram mal com o pênalti perdido por Paulão

Antes tido como uma grande unanimidade, até o goleiro Marcelo Grohe foi alvo de algumas críticas após a desclassificação na Libertadores. Ele foi titular no duelo contra o Corinthians e não teve muito trabalho em função da boa atuação da defesa. Após o jogo, ele falou sobre o momento vivido pelo Grêmio.

“Sabemos que podemos dar um pouco mais, o professor Roger tá cobrando muito isso. Temos duas competições ainda para conquistar, e é jogo a jogo, reconquistar o nosso torcedor, com ele a gente vai longe. Eu atuo há muitos anos no Grêmio, nunca havia tido uma semana tão difícil como essa”, falou Grohe.

“O torcedor está no direito de cobrar, o que não pode é ter agressão. Pressão tem em todo time grande. Cada um vai tentar evoluir, dentro do trabalho do professor Roger, e vamos reconquistar o torcedor que sempre foi muito importante para nós”, acrescentou.

Menos pressionado após o satisfatório empate contra o Corinthians, o Grêmio terá uma semana inteira de trabalho até o próximo compromisso. Pela segunda rodada do Brasileirão, o tricolor recebe na Arena, no próximo domingo, o Flamengo – que vem de vitória por 1×0 sobre o Sport Recife.



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.