Mercado da bola: Edílson já fala como novo lateral-direito do Grêmio

Foto: Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians

O lateral-direito Edílson desembarcou no início da tarde desta segunda-feira em Porto Alegre para fazer exames médicos e acertar os últimos detalhes do contrato de três anos com o Grêmio. Em entrevista à Rádio Grenal, o jogador que estava no Corinthians falou das expectativas em retornar ao clube e prometeu muito empenho para fazer o Tricolor a quebrar o jejum de seis anos sem títulos.

LEIA MAIS:

Opinião: Grêmio deixou boas impressões na estreia do Brasileirão

“Satisfação muito grande em retornar. Me sinto em casa. Estamos acertando os últimos detalhes. O mais rápido possível já devo estar atuando. Estou em plenas condições físicas e técnicas e vou procurar a fazer o meu melhor”, disse.

Edílson se considera um jogador muito mais maduro que há quatro anos.

“Desde a minha saída do Grêmio (em 2012) aprendi muito nos tempos em que passei por Botafogo e Corinthians. Em termos extracampo evoluí muito. Dentro de campo também, com maior bagagem. Pude ser campeão brasileiro no ano passado jogando as últimas rodadas. Chego muito feliz. Mesmo tendo jogado aqui chego com muita vontade de conquistar títulos. Pretendo ficar aqui três anos e de repente mais tempo”, declarou.

Edílson esteve presente na última conquista gremista: o Gauchão de 2010 e espera voltar a ser pé quente.

“Essa imagem do último título com o Grêmio ficou na minha cabeça, o carinho do torcedor, agora vou dar a minha vida para o Grêmio ser campeão novamente”, afirmou.

Mesmo nos tempos de Corinthians, Edílson acompanhava o noticiário do Grêmio pelo fato de sua família viver em Porto Alegre. Ele possui muito amigos no clube e lamentou a queda tricolor na Libertadores.

“O grupo é muito bom, mas infelizmente foi eliminado na Libertadores, O time que o Grêmio enfrentou nas oitavas de final era muito melhor do que nós enfrentamos (Corinthians foi eliminado pelo Nacional-URU). Rosario é forte candidato ao título”, analisou.

O lateral revelou que Tite tentou evitar a sua saída, mas que o desejo em ajudar o Grêmio falou mais alto. É bem provável que Edílson chegue e já assuma a lateral-direita. No Corinthians, ele vinha tendo poucas chances já que Fagner é titular incontestável da posição.

“Era um dos líderes do Corinthians. Foi muito difícil a minha liberação. O Tite conversou comigo e não queria me deixar sair. Quis pela vontade de estar aqui e em querer ajudar”, concluiu.

 



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)