Opinião: Leicester, a 3ª revolução inglesa

Crédito da Foto: Facebook Oficial do Leicester

Esqueça a revolução pelo jogo bonito. O Leicester não foi nenhum primor de futebol.

Revolução por que tinha um grande elenco? Muito longe disso.

Um goleiro renegado, um atacante argelino de 500 mil libras. Modesto valor para um futebol de quantias estratosféricas. O centroavante foi preso, jogava na 7ª divisão. Isso até ter encontrado a revolução dos gols.

Scheimechel, Mahrez, Vardy,Ulloa, Drinkwater, Morgan.. Técnico: Claudio Ranieri, um contrarrevolucionário da tática.

Um japonês se destacando? Impossível! Não, é não.. e o nome dele é Ogazaki.

Então qual foi a grande “revolução” que esses caras fizeram? A “revolução” do sonhar, persistir, lutar. Dê o sinônimo que você quiser.

No dia 2 de maio de 2016, vimos a 3ª revolução inglesa, mas dessa vez não foi em um chão de fábrica. Foi em um campo de futebol.