Roger exalta atuação do Grêmio e lamenta falta de sorte nas finalizações em empate

Crédito da foto: Reprodução/Grêmio FBPA

Roger Machado saiu da Arena Corinthians satisfeito com o empate sem gols do Grêmio na estreia do Brasileirão 2016. Em coletiva após a partida, o treinador destacou o bom futebol do time, explicou algumas mudanças táticas na equipe e avisou que o time está em busca da recuperação da confiança.

Veja mais:
MERCADO DA BOLA: RODRIGO CAETANO CONFIRMA CONSULTA DO GRÊMIO E DE MAIS DOIS CLUBES POR WALLACE
QUATRO RAZÕES EXPLICAM O EMPATE ENTRE CORINTHIANS E GRÊMIO

Eliminado nas semifinais do Gauchão e das oitavas da Libertadores, o Grêmio passou uma semana treinando para corrigir os erros e Roger conta que o empate foi bom. ” Depois de dois tropeços e insucessos que abalaram a nossa confiança, penso que para a estreia, contra o Corinthians, resultado de empate foi muito bom. Nós conseguimos marcar bem o adversário, criar dificuldades, marcando alto e baixo, explorando os espaços e o encurtamento de campo. A modificação foi muito bem aceita dentro da engrenagem, com o Miller mais recuado, e o Bobô segurando a linha. Criamos oportunidades mais claras. Poderíamos ter tido melhor sorte. Para o nível do jogo, da competição, depois de vir de dois tropeços, insucessos, que minam a confiança, foi muito bom”.

Segundo o jogador Marcelo Oliveira, a semana que antecedeu a estreia no Brasileirão foi uma das piores de sua carreira no profissional. Roger Machado confirmou a informação e destacou que o período foi de muito trabalho.

— Foi uma semana tensa, mas focada no trabalho. Entender que, muito embora os resultados e as eliminações foram dolorosas, não havia espaço para mudanças completas na estrutura do time, nem em cinco ou seis jogadores. Foram dois jogos [Rosário Central] diferentes dos 70 que estou a frente do clube, que foi abaixo. [A semana serviu para] resgatar a confiança dos atletas, mas acima de tudo se preparar para chegar aqui e fazer um grande jogo. A semana foi intensa e de muito trabalho.

Na partida deste domingo, contra o Timão, Roger promoveu a entrada de Miller Bolãnos no lugar de Douglas no meio de campo. A mudança serviu para mudar a forma da equipe jogar.

— Então, o Miller fica conosco até o jogo contra o Flamengo e depois vai para a seleção [do Equador]. Na conversa que tive com o Douglas, porque gosto de ser franco, já que estive desse lado, disse que gostaria de promover a entrada do Miller atrás do centroavante para mudar a característica daquela função. O Douglas, pra mim, é muito importante, vou precisar dele e ele soube entender, mesmo querendo jogar. Isso pode nos dar mais opções. O importante é fazer um bom começo de brasileiro.

Um destaque individual da equipe para Roger foi o lateral-esquerdo Marcelo Oliveira, que, junto a Giuliano, não deram espaços a Fagner.

— O Marcelo vem resgatando seu jogo. Hoje, eu pedi para ele ficar resguardado, defensivamente, para liberar o lado do Luan e, junto com Giuliano, conter as subidas do Fagner. [A equipe] foi forte defensivamente porque jogou concentrada. Todos os jogadores marcaram.

Na avaliação do treinador do Tricolor gaúcho, a equipe se postou bem em campo e travou as principais jogadas da equipe de Tite.

— Nossa zaga se comportou bem, tanto o miolo quanto os laterais, a frente do nosso sistema defensivo foi seguro. Quando coletivamente temos uma unidade, dá certo. Isso faz parte da consciência coletiva e da necessidade de dar uma resposta ao nosso torcedor que as eliminações doeram, mas a gente tem muita coisa pra oferecer.

O Grêmio volta a campo no próximo domingo, às 16h, contra o Flamengo, na Arena, pela segunda rodada do Brasileirão.



Jornalista com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação, Dialoog Comunicação e Comunicale.