Acusado de estupro, Jóbson coleciona polêmicas na carreira; relembre

Foi divulgado, nesta quarta-feira (23), o possível envolvimento do jogador Jóbson em um caso de estupro no interior do Pará. Suspenso pela FIFA em caso de doping, o ex-botafoguense coleciona polêmicas em sua carreira. Confira alguns deles a seguir.

Redação Torcedores
Textos publicados pela Redação do Torcedores.com.Contato: redacao@torcedores.com

Crédito: Reprodução / Twitter

LEIA MAIS:

JOBSON É PRESO SOB ACUSAÇÃO DE ESTUPRAR ADOLESCENTES

JOBSON SE INSCREVE POR DOIS CLUBES E CAUSA CONFUSÃO NO INTERIOR DO PARÁ

JOBSON É SUSPENSO EM CAMPEONATO AMADOR NO PARÁ

O caso investigado pela polícia civil do Pará é mais um no histórico extra-campo de Jóbson. Com 27 anos de idade e pouco mais de 7 anos de carreira, o jogador iniciou a vida futebolística como profissional no Brasiliense e logo foi para o Botafogo, em 2009. Já na primeira temporada como atleta da equipe carioca, caiu no exame antidoping e ficou um tempo sem poder jogar. De lá pra cá, passou por clubes como Bahia, Atlético Mineiro e São Caetano. Também trabalhou na Arábia Saudita até ser suspenso pela federação do país. Relembre:

O primeiro caso de doping

Reprodução / TV Globo

Reprodução / TV Globo

Em 2009, no primeiro ano como profissional, Jóbson foi flagrado nos exames antidoping nas partidas contra Coritiba e Palmeiras, sob a acusação do uso de cocaína. Após repercussão da mídia, ele admitiu que era usuário de crack. A pena inicial do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) foi de 2 anos de suspensão. Após novo julgamento, Jóbson teve a sansão reduzida para seis meses e voltou aos gramados em Julho de 2010.

Atentado à torcida do Avaí

Ainda no Botafogo e meses depois de retornar as atividades suspensas pelo STJD, Jóbson se envolveu em uma confusão durante o trajeto do ônibus do time na saída do estádio Ressacada, após o empate contra o Avaí. Segundo relatos, o jogador mostrou o órgão sexual para os torcedores que cercavam o veículo da equipe carioca. Os policiais o conduziram à delegacia mas ele pôde se reintegrar ao elenco no mesmo dia.

Agressão contra a esposa

Após dizer que o Barueri era um “time sem torcida”, transferiu-se para o São Caetano no início de 2013. Apesar da expectativa do próprio atleta em recuperar integralmente sua carreira, em Março do mesmo ano foi levado à uma delegacia local acusado de agredir a então esposa, Thayne Bárbara. Na ocasião, dirigiu-se a um hospital alegando ter se ferido sozinho, em casa. Momentos depois, a companheira apareceu acompanhada de policiais afirmando que o corte foi resultado da briga entre os dois. Jóbson prestou depoimentos e foi liberado pelo delegado da unidade.

Suspenso pela FIFA

Reprodução / Twitter

Reprodução / Twitter

No Al Ittihad, da Arábia Saudita, Jóbson se recusou a fazer um exame de antidoping em Março de 2014. Por essa atitude, o Comitê responsável pelos casos de dopagem no país impediu o jogador de atuar por quatro anos no território árabe. Sem poder jogar, voltou ao Botafogo e foi um dos destaques da campanha alvinegra no Campeonato Carioca de 2015. A FIFA, no entanto, decidiu internacionalizar a suspensão de Jóbson e ele não pôde entrar em campo na fase final da competição.

Embriaguez e resistência à prisão

Reprodução / Twitter

Reprodução / Twitter

Já sancionado, voltou à sua cidade natal, Conceição do Araguaia, no sul do Pará. Em Julho de 2015, foi preso dirigindo embriagado. Os policiais envolvidos no caso alegaram que o jogador tentou fugir ao avistar a viatura e os desacatou ao ser abordado. Jóbson ficou detido por dois dias e foi liberado ao pagar a fiança na quantia de dois salários mínimos.