Votação no Reino Unido pode tirar jogadores da Premier League; entenda

Na próxima quinta-feira (23 de junho) o Reino Unido irá votar por um referendo que decidirá se o grupo de nações continuará ou não como parte da União Europeia. Se não permanecer, mais de 430 jogadores poderão perder vistos de trabalho, sendo impedidos de atuar pela Premier League.

Willian Matos
Colaborador do Torcedores
Premier League

Crédito: Divulgação/Premier League

LEIA MAIS: 

PREMIER LEAGUE TERÁ ARSENAL X LIVERPOOL NA PRIMEIRA RODADA; VEJA TABELA

Se o Reino Unido realmente deixar a União, os atletas que atuam por lá terão que passar por uma análise para saber se estariam dentro das exigências solicitadas pelo novo visto de trabalho. Segundo o jornal The Guardian, 161 jogadores europeus são contratados por times da Premier League e mais de dois terços não estão dentro desses padrões.

OS TAIS PADRÕES

A Football Association (FA) implantou novas regras para que os jogadores europeus consigam seus vistos e possam atuar no Reino Unido. O objetivo é fazer com que só sejam aceitos os atletas que já jogaram uma quantidade de partidas nos respectivos países natais. Confira as regras:

– Jogadores de países entre os 10 no ranking da Fifa: devem ter jogado ao menos 30% das partidas internacionais da seleção nos 24 meses (dois anos) que antecederam a transferência;

– Jogadores de países entre 11-20 no ranking da Fifa: devem ter participado de 45% dos jogos dois anos antes da transferência;

 Jogadores de países entre 21-30: devem ter participado de 60% dos jogos dois anos antes da transferência;

 Jogadores de países entre 31-50 no ranking da Fifa: devem ter participado de 75% dos jogos dois anos antes da transferência;

Seleções como a Polônia não estão entre as 50 primeiras no Ranking da entidade mundial do futebol. Para esses casos, serão feitas análises à parte.

ALGUNS NOMES

Kurt Coma e Azpilicueta, do Chelsea, são exemplos de jogadores que estariam impedidos de atuar. E tem mais: o Manchester United perderia os jogadores De Gea, Juan Mata, Schneiderlin e Martial; O atual campeão, Leicester, perderia N’Golo Kante; O Arsenal ficaria sem Bellerin e Coquelin. O Liverpool ficaria sem Mignolet; Payet precisaria largar o West Ham. Entre outros casos.