GUIA RIO 2016 TORCEDORES.COM – SAIBA TUDO SOBRE A MARATONA AQUÁTICA

O Torcedores.com continua seu especial para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016 que conta um pouco da história de cada esporte olímpico, algumas curiosidades para você contar por aí, além de informar os favoritos das provas e quem são os brasileiros nelas. Falaremos agora da Maratona Aquática, modalidade que pode dar até duas medalhas para o Brasil

LEIA O GUIA RIO 2016 DE OUTROS ESPORTES:
ATLETISMO, BADMINTONBASQUETE MASCULINO, BASQUETE FEMININO, BOXECANOAGEM VELOCIDADECANOAGEM SLALOM, CICLISMO BMX, CICLISMO ESTRADA, CICLISMO MOUNTAIN BIKE, CICLISMO PISTA,  ESGRIMAFUTEBOL MASCULINOFUTEBOL FEMININO, GINÁSTICA ARTÍSTICA, GINÁSTICA RÍTMICA, GINÁSTICA DE TRAMPOLIM, GOLFEHANDEBOLHIPISMO, JUDÔ, LEVANTAMENTO DE PESO, LUTA, MARATONA AQUÁTICA, NADO SINCRONIZADO, NATAÇÃO, PENTATLO MODERNOPOLO AQUÁTICO, REMORUGBY DE SETE, SALTOS ORNAMENTAIS,TAEKWONDOTÊNISTÊNIS DE MESA,TIRO COM ARCOTIRO ESPORTIVO, TRIATLO, VELAVÔLEI FEMININO, VÔLEI MASCULINOVÔLEI DE PRAIA

 

ESPORTE: MARATONA AQUÁTICA

INTRODUÇÃO: a maratona aquática é uma das provas mais recentes no programa olímpico. Passou a ser disputada apenas nos Jogos de Pequim em 2008. Apesar disso, o ato de nadar em grandes distâncias em águas abertas é praticado há bastante tempo. No final do século XIX, por exemplo, um capitão inglês chamado Matthew Webb se tornou o primeiro homem a cruzar a nado em 21 horas e 45 minutos o canal da mancha, que separa a França da Inglaterra e tem 64 quilômetros. A partir dai, muitos começaram a se aventurar no mundo das grandes travessias, que passaram a se tornar mais populares. Nos Jogos Olímpicos, algumas edições das provas de natação ocorreram em águas abertas. Foi o caso das edições de Atenas 1896 e Paris 1900. Em 2005, o Comitê Olímpico Internacional (COI) confirmou a inclusão da prova de 10km para as Olimpíadas de Pequim em 2008.  Atualmente, existem verdadeiras provas aquáticas de resistência, com trajetos de mais de 30km a serem nadados, embora nenhum deles seja homologado pela Federação Internacional de Natação.

 

VOCÊ SABIA?

  • Que as posições dos nadadores das provas de Maratona Aquática são definidas por sorteio?
  • Que existe uma prova nos Estados Unidos de 193km a serem nadados em um período de sete dias?
  • Que a temperatura da água nas provas deve estar entre 16 e 31 graus celsius, caso contrário deve ser cancelada?
  • Que em 2006, um croata atravessou mais de 225km no Mar Adriático da cidade de Grado até Riccione (ambas na Itália) num tempo recorde de 50 horas e 10 minutos?
  • Que os nadadores são obrigados a disputar as provas de maratona aquática com chips eletrônicos no pulso e que se não utilizarem são desclassificados? 

 

10km MASCULINO

HISTÓRICO: A primeira prova de maratona aquática em jogos olímpicos foi disputada em Pequim, 2008, sendo vencida pelo holandês Maarten van der Weijden. A prata ficou com o britânico David Davies e o bronze com o alemão Thomas Lurz. Quatro anos mais tarde, o alemão foi o único que conseguiu subir ao pódio novamente, desta vez conquistando a prata. O ouro ficou com o turco Oussama Melloulli e o bronze com o canadense Richard Wienberger.

 

QUEM CHEGA FORTE AO RIO:

Dos 25 atletas que disputarão a prova, Spyridon Gianniotis (foto), foi o mais regular. O grego bateu na trave nas Olimpíadas de Londres chegando em quarto lugar, mas um ano depois, sagrou-se campeão mundial. Manteve a regularidade, sendo o o único atleta que conseguiu medalhar nos Mundiais 2013 e 2015. O campeão de Londres, Oussama Melloulli, da Turquia, vem ao Rio para tentar defender o título. Fique atento ainda para o americano Jordan Willmovski, campeão mundial em 2015 e ao alemão.

grego maratona

 

Abaixo, os atletas que ficaram entre os 3 primeiros nas principais competições  da maratona aquática (Campeonato Mundial, Circuito Mundial e Campeonato Europeu).

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIPAIS PARTICIPANTES:

Jordan Wilimovsky (EUA) –  campeão mundial 2015

Spyridon Gianniotis (Grécia) –  campeão mundial 2013, terceiro colocado em 2015

Christian Reichert (Alemanha) – campeão do Circuito Mundial 2015

Oussama Mellouli (Tunísia) – . terceiro lugar no Mundial 2013, campeão em Londres 2012

Ferry Weertman- (Holanda) – campeão europeu 2014, vice-campeão mundial 2015

Evgeny Drattsev (Rússia) – vice-campeão europeu 2014

Simone Ruffini (Itália) – atual líder do Circuito Mundial 2016

Allan do Carmo (Brasil) – campeão do Circuito Mundial 2014

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

Quem tentará uma inédita medalha para o Brasil é o baiano Allan do Carmo, de 26 anos. Tem no currículo uma participação olímpica, em Pequim 2008, quando ficou em 14º lugar. Após ficar fora de Londres 2012, foi muito regular no último ciclo olímpico, figurando sempre entre os melhores no Circuito Mundial, sendo inclusive sendo campeão em 2014. Em Mundiais, não teve os mesmos resultados, entretanto. No do ano passado, terminou na nona colocação. Pesa positivamente a ele o fato de nadar em casa, conhecendo melhor as condições do mar. Diríamos que as chances de medalha são médias

 

allan do carmo

PALPITE DO GUIA:

ouro: Spyridon Gianniotis (Grécia)

prata: Simone Ruffini (Itália)

bronze Ferry Weetman (Holanda)

Allan do Carmo: sexto lugar

 

10km FEMIININO

HISTÓRICO: A primeira prova de maratona aquática em jogos olímpicos foi disputada em Pequim, 2008, sendo vencida pela russa Iana Ilchenko. A prata e o bronze ficaram com duas britânicas: Kerri-Ann Payne e Cassandre Patten. O Brasil conseguiu colocar duas nadadoras entre as oito melhores. Em 2012, o pódio foi totalmente diferente. A húngara Eva Risztov ficou com o ouro, seguida pela americana Haley Anderson e pela italiana Matina Grimaldi. Eva estará novamente no Rio para defender o seu título.

 

QUEM CHEGA FORTE AO RIO

Ana Macela Cunha (foto) e Poliana Okimoto, as duas nadadoras do Brasil, chegam muito bem ao Rio. Em 2016, em três etapas disputadas da Copa do Mundo, levaram duas medalhas. A italiana Rachele Bruni levou duas medalhas de ouro e conseguiu um bom quinto lugar. A francesa Aurélia Muller, atual campeã mundial, venceu uma etapa.

Outras nadadoras que tiveram bons resultados em 2016 e chegarão forte ao Rio: Kalliopi Araouzou (Grécia), Hailey Anderson (EUA), Isabelle Harle (Alemanha), Keri-Anne Payne (Grã-Bretanha), Anastasia Krapyvina (Rússia), Samantha Arévalo (Equador), Yumi Kida (Japão)

ana marcela

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIAIS PARTICIPANTES:

Aurélie Muller (França) – campeã mundial 2015

Sharon van Rouwendaal (Holanda) –  prata no mundial 2015, campeã europeia em 2014

Ana Marcela Cunha (Brasil) – terceira colocada no mundial 2015, vice-campeã mundial 2013, campeã do circuito mundial 2014,

Rachele Bruni (Itália) – campeã do circuito mundial 2015, quarta colocada no Mundial 2015

Poliana Okimoto (Brasil) – campeã mundial 2013

Eva Ristov (Hungria)  – campeã olímpica 2012

Emily Brunemann (EUA) – campeã do circuito mundial 2013

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL?

A baiana de 24 anos Ana Marcela Cunha, eleita a melhor atleta olímpica brasileira em 2015, disputará a sua edição de Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, tendo conseguindo um bom quinto lugar em Pequim, 2008. Ela vem tendo resultados significativos nos últimos anos; foi campeã do circuito mundial por três vezes. No Mundial de 2013 e 2015 conseguiu uma prata e um bronze, respectivamente. Em 2016 continua bem. Nas últimas 9 provas que disputou, conseguiu chegar ao pódio em oito, tendo uma quarta colocação.

A outra brasileira na prova é a paulista de 33 anos Poliana Okimoto (foto), que disputará a sua terceira edição de Jogos Olímpicos. Em 2013, conseguiu o feito inédito de se tornar campeã mundial. Mesmo tendo checado em sexto no Mundial 2015, teve um ano muito regular, se mantendo sempre entre as primeiras colocadas. Em 2016, conseguiu um pódio nas duas provas da modalidade disputadas. Ao lado de Ana Marcela, devem fazer uma estratégia em dupla (as duas treinam juntas na UNISANTA) para que haja uma dobradinha no pódio, assim como ocorreu no mundial de 2013, quando Poliana foi ouro e Ana Marcela prata.

Diríamos, portanto, que as chances de medalha são altas

poli

PALPITE DO GUIA:

Ouro: Ana Marcela Cunha (Brasil)

Prata: Rachele Bruni (Itália)

Bronze: Poliana Okimoto (Brasil)



Paulistano, 27 anos, deixou a publicidade e o marketing esportivo para ingressar no jornalismo e conseguir cobrir grandes eventos esportivos. Apaixonado por esportes olímpicos e futebol americano, sonha em estar no Rio de janeiro em 2016 para cobrir os Jogos Olímpicos in loco.