GUIA RIO 2016 TORCEDORES.COM – SAIBA TUDO SOBRE O VÔLEI FEMININO

O Torcedores.com continua seu especial para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016 que conta um pouco da história de cada esporte olímpico, algumas curiosidades para você contar por aí, além de informar os favoritos das provas e quem são os brasileiros nelas. Falaremos do Vôlei Feminino, esporte em que o Brasil busca seu terceiro título consecutivo.

LEIA O GUIA RIO 2016 DE OUTROS ESPORTES:
ATLETISMO, BADMINTONBASQUETE MASCULINO, BASQUETE FEMININO, BOXECANOAGEM VELOCIDADECANOAGEM SLALOM, CICLISMO BMX, CICLISMO ESTRADA, CICLISMO MOUNTAIN BIKE, CICLISMO PISTA,  ESGRIMAFUTEBOL MASCULINOFUTEBOL FEMININO, GINÁSTICA ARTÍSTICA, GINÁSTICA RÍTMICA, GINÁSTICA DE TRAMPOLIM, GOLFEHANDEBOLHIPISMO, JUDÔ, LEVANTAMENTO DE PESO, LUTA, MARATONA AQUÁTICA, NADO SINCRONIZADO, NATAÇÃO, PENTATLO MODERNOPOLO AQUÁTICO, REMORUGBY DE SETE, SALTOS ORNAMENTAIS,TAEKWONDOTÊNISTÊNIS DE MESA,TIRO COM ARCOTIRO ESPORTIVO, TRIATLO, VELAVÔLEI FEMININO, VÔLEI MASCULINOVÔLEI DE PRAIA

VÔLEI FEMININO

HISTÓRICO: O vôlei feminino teve uma predominância asiática e da União Soviética. nas sete primeiras edições dos jogos. As soviéticas conquistaram 3 títulos (1968, 1972, 1980 e 1988)  e o Japão foi bicampeão em 1964 e 1976  Os países das Américas começaram a se destacar nos anos de 1980 e 1990, com destaque para a fortíssima geração cubana, vencedora de três edições consecutivas (1992, 1996 e 2000). O Brasil passou a se destacar também nos anos 90, conseguindo duas medalhas de bronze em 1996 e 2000. No século 21, Cuba perdeu a força e o Brasil passou a dominar, com dois títulos consecutivos em 2008 e 2012, ambos em cima dos Estados Unidos. Só a China conseguiu quebrar a hegemonia dos países das Américas, vencendo o título em 2004.

 

ATLETAS QUE BRILHARÃO NO RIO

Todos os países têm pelo menos uma grande atleta. Fique atento a russa Tatiana Kosheleva, a holandesa Lonneke Sloetjes, a sérvia Maja Ognjenovic. a líbero chinesa Lin Li, a americana Kimberly Hill e as brasileiras Fabiana (foto) e Natália.

volei feminino fabiana

QUEM CHEGA FORTE AO RIO:

O Brasil vinha um pouco atrás dos Estados Unidos (foto) e da China, mas no Grand Prix deste ano, as brasileiras cresceram muito e se sagraram campeãs diante das rivais americanas. A China poupou as jogadoras na fase final e acabou fora, mas ainda segue como uma das melhores equipes do mundo. Rússia e Holanda também estão bem. Sérvia, Japão e Itália também pode surpreender.

volei feminino estados unidos

 

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PARTICIPANTES:

Brasil – campeão do grand prix 2016, 2014 e2013, campeão olímpico em 2012

Estados Unidos – campeão mundial 2014, campão do grand prix 2015 vice-campeão do grand prix 2016, vice-campeão em 2012

China– vice-campeã mundial 2014, vice-campeã do grand prix 2013

Japão– vice-campeão do grand prix 2014

Rússia – campeã europeia 2015, vice-campeã do grand prix 2015

Itália – quarta colocada no mundial 2014

Holanda – vice-campeã europeia em 2015, terceira colocada no grand prix 2016

Sérvia –  terceira colocada no europeu 2015

COMO É A DISPUTA?

Doze países, divididos em duas chaves de seis times, disputarão a tão sonhada medalha de ouro. Os quatro primeiros de cada grupo se classificam e enfrentam adversários do outro grupo nas quartas-de-final (sendo o primeiro colocado de um grupo contra o quarto colocado do outro e o segundo colocado de um contra o terceiro colocado de outro). A partir daí, saem os semifinalistas e finalistas.

OS GRUPOS:

O Brasil (foto) está no grupo A e enfrentará Rússia, Japão, Coreia do Sul, Argentina e Camarões. No Grupo B, os Estados Unidos encaram China, Sérvia, Itália, Holanda e Porto Rico.

volei feminino brasil

QUAIS AS CHANCES DO BRASIL?

O Brasil começou 2016 atrás de Estados Unidos e China. A recepção não estava encaixando, muito menos o ataque. No Grand Prix de Vôlei, realizado poucos meses antes dos Jogos Olímpicos, entretanto, a equipe engrenou e acabou se sagrando campeão da Liga Mundial no início de julho batendo as americanas. O atual bicampeão olímpico demonstrou muita qualidade. Fabiana e Thaisa, as duas centrais do time, são um grande diferencial do Brasil perante os outros países. A líbero Léia fez um excelente Grand Prix e acabou sendo chamada para compor o grupo olímpico. Sheila e Fernanda Garay cresceram muito nos últimos meses e juntas com Jaqueline e Natália, eleita a melhor jogadora do Grand Prix, formam um ataque excepcional.

O time chega muito melhor do que há quatro anos em Londres, onde quase ficou de fora da primeira fase.O elenco é forte, experiente e comandado pelo genial José Roberto Guimarães, único tricampeão olímpico da história do Brasil. Jogando em casa, com o apoio da torcida, pode-se dizer que as chances de medalha são altas

 

PALPITE DO GUIA:

Ouro: China

Prata: Brasil

Bronze: Estados Unidos



Paulistano, 27 anos, deixou a publicidade e o marketing esportivo para ingressar no jornalismo e conseguir cobrir grandes eventos esportivos. Apaixonado por esportes olímpicos e futebol americano, sonha em estar no Rio de janeiro em 2016 para cobrir os Jogos Olímpicos in loco.