Luan vai em busca do ouro inédito ¨ Meu maior desafio ¨

O zagueiro Luan do Vasco é o único representante de um clube do Rio na seleção olímpica de futebol. O capixaba que está no Rio há 10 anos, já se sente carioca e trata como muito especial as Olimpíadas na cidade maravilhosa e a busca pelo ouro inédito em casa. O defensor foi entrevistado para a Série Papo Olímpico. Confira os trechos para o site da CBF, Luan não vê a hora de representar a seleção brasileira e fala de sua relação com Micale, além de como recebeu a notícia no Vasco e comparações com Mauro Galvão.

Pedro Icaro Costa
Formado em Jornalismo 🎙 Analista de Desempenho de futebol com formação pela UERJ ⚽️

Crédito: (Foto: Divulgação)

– É uma felicidade. Não consigo descrever o que senti na convocação e estou sentindo até chegarem os jogos. Estou muito feliz, de verdade. Era uma meta que eu tinha na vida e na carreira e, graças a Deus, estou conseguindo alcançá-la. Vou estar na minha casa, como estou no Rio há dez anos sou um pouco carioca e um pouco capixaba, e não tenho dúvida de que o povo vai nos apoiar, todos os estados o brasileiro vão apoiar, pois não só nós, mas eles também querem esse ouro e a gente está muito motivado para fazer uma grande competição – Luan sobre a emoção de ser convocado.

O zagueiro estava nas dependências do Vasco quando recebeu a notícia da convocação, ele fala como foi aquele momento especial.

– Estava na fisioterapia no Vasco, porque um dia antes eu tinha saído com dor na coluna do jogo. E estava deitado e fazendo acupuntura, sozinho na sala do médico, louco para que chegasse 11 horas e nada. Deu 10h, 10h30 e nada… Quando deu 11 horas eu coloquei no telefone (a transmissão). Quando saiu o meu nome eu comecei a chorar e depois não consegui fazer mais nada, pois o meu telefone não parou de tocar. A primeira pessoa que falei o Cícero, do Espírito Santo, meu melhor amigo. Logo que saiu o meu nome na lista ele me ligou para dar os parabéns. Aí depois veio o Nenê me abraçar e eu estava cheio de agulha, começou a balançar tudo e quase me furou todo! – conta, entre muitas risadas.

Rogério Micale foi treinador de Luan nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no ano passado, o atleta fala um pouco da relação com o treinador.

– (Rogério Micale) É um cara super gente boa, correto e muito direto. Tudo o que achava de mim, ele chegava, olhava nos meus olhos e falava. Aprendi a ser assim, fico feliz de estar trabalhando com uma pessoa do nível dele, cara super inteligente e estou muito feliz. Mas não tem essa de muita moral com o chefe. Todos que estão indo vão brigar por posição, é sempre uma disputa sadia, mas fico feliz por ser lembrado e agradeço a ele – destaca.

O zagueiro Mauro Galvão foi um dos grandes da história do Vasco, o atleta foi prata pela Seleção Brasileira, nos Jogos de Los Angeles, em 1984. Luan fala de Mauro e sobre essa boa comparação que o torcedor faz com o grande zagueiro.

– O Mauro, infelizmente, não o acompanhei, era criança, não entedia tanto de futebol, mas tive o prazer de trabalhar com ele depois, como diretor, e é uma pessoa fantástica. Consegui assistir alguns vídeos dele e é um prazer ser comparado a ele, além de responsabilidade grande pelo atleta que foi. Ele tem medalha, a prata, parabéns, é uma grande conquista, mas quero ir, além disso, e conquistar o ouro – enfatiza.

Luan pode entrar para a história da seleção brasileira, o time canarinho nunca conquistou o ouro olímpico no futebol. Veja como o zagueiro do Vasco trata esse grande desafio na sua carreira.

– É o meu maior desafio. Estou super motivado e querendo que cheguem logo os jogos. É um ouro esperado por todos, não só por nós que vamos jogar, mas por todo o povo brasileiro, que quer muito esse ouro, e, como é a única coisa que falta para o futebol brasileiro, a gente vai tentar entrar aí no Museu (da Seleção Brasileira) para conquistar um pedacinho desse espaço e tenho certeza que vamos vai conseguir – finaliza.

Luan foi o entrevistado para a série Papo Olímpico. Acompanhe mais entrevistas dos jogadores da seleção convocados para os Jogos Olímpicos pelo site da CBF: www.cbf.com.br.