Opinião: um apagão que quase custou caro para o São Paulo

Foi por pouco. Com menos de quinze minutos de jogo, a Chapecoense já vencia a partida por dois a zero, um placar construído graças a absurda fragilidade da defesa são paulina. Ainda bem que no segundo tempo, veio o empate. Mas apesar de ter evitado a derrota, a situação do São Paulo no Brasileirão não é boa.

Rodrigo Nascimento
Colaborador do Torcedores.com, amante dos esportes americanos e do automobilismo.

Crédito: Crédito da Foto: Twitter Oficial do São Paulo

LEIA MAIS:
FOI O ÚLITMO JOGO? BAUZA FALA SOBRE POSSÍVEL SAÍDA DE CENTURIÓN
SÃO PAULO 2 X 2 CHAPECOENSE: ASSISTA AOS MELHORES MOMENTOS

A torcida são paulina foi em peso nesta manhã ao Morumbi, crente que a equipe conseguiria sua primeira vitória pós eliminação na Libertadores. Mas em doze minutos, a defesa Tricolor cometeu dois grandes vacilos, e com isso, a Chapecoense abriu dois a zero no placar, gols de Kempes e Thiego. Não foram simples falhas: foi um tremendo apagão defensivo, que custou os três pontos. E um time como o São Paulo, não pode se dar ao luxo de desperdiçar a chance de obter três pontos em casa.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

A partir dos quinze minutos, só o São Paulo jogou. A Chapecoense fez o certo: com a vantagem de 2 a 0 no placar, fora de casa, não tinha porquê se expor. A bola ficou nos pés dos jogadores são paulinos, mas dizer que o time da casa fez uma pressão no primeiro tempo, seria uma grande mentira. O time tocou muito a bola próximo da entrada da área, Kelvin e Cueva se movimentaram bastante, mas o time pouco chutou a gol. Centurion arriscou alguns chutes, todos pífios. Os laterais do Tricolor, Bruno e Carlinhos, não ganharam nenhuma jogada contra os jogadores do Verdão do Oeste.

No segundo tempo, Bauza tirou Thiago Mendes e promoveu a estreia do atacante Chávez. Pouco tempo depois, foi a vez de Carlinhos deixar o campo para a entrada de Luiz Araujo (parte da torcida já clamava pela entrada do garoto em campo). O time ganhou mais velocidade e principalmente, profundidade com as alterações. Logo, conseguiu diminuir a diferença, com gol de Cueva.

Próximo dos quarenta minutos, Josimar bobeou e desviou a bola com a mão dentro da grande área. Pênalti para o São Paulo, que Cueva converteu muito bem. Enfim, o jogo estava empatado, menos mal, pois os mais de 54 mil são paulinos não mereciam assistir mais uma derrota do Tricolor. E um empate não seria um resultado injusto, pois na maior parte do jogo, foi o São Paulo que se arriscou mais.

Mas nos últimos minutos, quem quase balançou a rede foi a Chapecoense. Houve duas oportunidades claras para a equipe catarinense, que só não voltou a ficar a frente do placar, graças ao goleiro Denis, que fez duas belas defesas (está melhorando a cada jogo). Mas a partida se encerrou com o placar de 2 a 2.

Foi um resultado bom pelo que aconteceu na partida: ter saído atrás do placar e ter conseguido se recuperar, foi bom de ver. Mas pensando no Campeonato Brasileiro, foi um resultado ruim. Espero com grande ansiedade a entrada de Buffarini na lateral direita, e me desculpe o Bauza, mas Carlinhos no time titular é uma piada de muito mau gosto. Luiz Araujo já passou da hora de ter uma chance na equipe titular, pois joga mais que Centurion, é mais veloz que Michel Bastos (que pode jogar de lateral) e está louco por uma chance.

Quanto a defesa, acho que não é preciso dizer nada. Está claro que Maicon e Lugano não podem jogar juntos. Não sei se o Bauza sabe, mas tem um garoto chamado Lyanco que parece ser promissor. Se ele não puder entrar de titular contra a Chapecoense no Morumbi com mais de 50 mil torcedores apoiando, acho melhor procurar outra profissão…