Rio 2016: prevendo caos, cariocas buscam ‘fugir’ da cidade durante Olimpíada

Onda de violência na cidade causa preocupação em moradores, que temem tempos difíceis para os turistas que frequentarem os Jogos

Márcio Donizete
Jornalista desde 2012, com passagens pelos jornais ABCD Maior e Diário do Grande ABC, além do canal NET Cidade de TV. Foi repórter colaborador, líder de colaboradores e editor no Torcedores.com. Apresenta o Lente Esportiva ABC em lives no Facebook e Youtube.

Crédito: Crédito da foto: Imagens Públicas

Os Jogos Olímpicos do Rio 2016 começam em 17 dias e os turistas se planejam para se fixar na cidade durante as duas semanas de competições. Alguns hotéis estão lotados e alguns já têm dificuldade de encontrar algum lugar para hospedagem, o que certamente superlotará o município. Por conta disso, muitos cariocas planejam “escapar” da metrópole nesse período para buscar tranquilidade.

VEJA MAIS
RIO 2016: UNIFORMES DE COMPETIÇÃO DO BRASIL SÃO APRESENTADOS PARA OS JOGOS; CONFIRA

“Mas muitos aqui do Rio irão ‘fugir’ porque imaginam a dimensão do caos que estará essa cidade”, diz a estudante Juliana Leitão, 22 anos, moradora do Rio, ao Torcedores.com. “Estaremos de férias por aqui, muita gente vai viajar”, complementa a carioca, que pretende viajar com alguns amigos para o litoral sul fluminense durante esse tempo.

Para ela, os Jogos vieram em um momento ruim para o país, e que isso vem desanimando parte da população. “Tinha tudo pra ser mágico, mas veio numa época muito ‘zoada’ da história do Brasil. Infelizmente aqui estamos de saco cheio, ninguém está ligando muito, o clima está meio que de ‘revolta'”, explica. A onda de violência pré-Olimpíada também está “afastando” os habitantes. “Estamos realmente preocupados”, relata.

Apesar do clima negativo que acerca os Jogos Olímpicos, Juliana acredita que no fim os moradores deverão ceder ao ambiente olímpico. “Mas quando começar, talvez a população acabe curtindo mais”, projeta. Na Copa do Mundo, algo semelhante aconteceu: o pessimismo que tomou conta dos brasileiros acabou se transformando em festa nas cidades-sede, o que garantiu o sucesso do Mundial.