Rio 2016: Vila Olímpica foi alvo de “sabotagem”, diz chefe da missão Argentina

Vila Olímpica - Rio 2016
Crédito da foto: Reprodução / André Motta / brasil2016.gov.br

A Vila Olímpica tem sido um dos temas mais comentados antes do início dos Jogos Olímpicos Rio 2016 e não por bons motivos. As reclamações das delegações têm sido constantes e para Diego Gusman, Chefe da Missão Argentina, houve má fé por parte dos funcionários.

LEIA MAIS:
JORNAL DOS EUA DIZ QUE SEGURANÇA DO RIO É PIOR QUE “PRÉ-11 DE SETEMBRO”
JORNAL AMERICANO DIZ QUE ATLETAS VÃO ‘NADAR NA M…’ NAS OLIMPÍADAS DO RIO
JORNAL ESPANHOL CRITICA A VILA OLÍMPICA: “PROCURA-SE UM ENCANADOR”
CANGURU APARECE UM PRÉDIO DA AUSTRÁLIA NA VILA OLÍMPICA E EDUARDO PAES VIRA PIADA NA WEB

“Já estive em diversos Pan-Americanos, Jogos Olímpicos, Mundiais, e nunca tinha visto isso. Não eram pedrinhas dentro dos vasos sanitários. Eram blocos de cimento, pedaços grossos de tecido, tudo interrompendo o fluxo de água. Não precisei conversar com ninguém e nem ter nenhuma informação para perceber com a minha experiência que não se tratavam de erros corriqueiros de uma obra. Tenho certeza que houve sabotagem”, afirmou Diego Gusman ao Globoesporte.com.

Além das falhas nas obras nos edifícios da Vila Olímpica, como falta de água e luz, também há relatos de casos de vandalismo e furtos. Objetos como torneiras, painéis de alumínio, fechaduras e lâmpadas desapareceram, e foram encontrados pedaços de tecido e cimento nos sanitários que causaram entupimentos. Os motivos destes atos seriam as condições de trabalho e o atraso no pagamento aos funcionários.

Diego Gusman conversou com os trabalhadores do Rio 2016 responsáveis por resolver os problemas na Vila Olímpica e confirmou que as falhas não iguais às mais frequentemente encontradas em obras. “Os únicos que conversei foram os funcionários que trabalham aqui na Vila para solucionar os problemas. E eles me disseram que muitas das situações não eram normais em uma obra. Eram erros diferentes e que colocavam toda a dúvida em cima do que aconteceu”, revelou Gusman.

Crédito da foto: Reprodução / André Motta / brasil2016.gov.br