Rio 2016: ajuda para torcer nas provas do sabre feminino da esgrima

Hoje, na esgrima, ocorrem as provas do sabre no feminino. Saiba aqui quem são os brasileiros que competem, os favoritos para ganhar medalhas e como funciona a disputa. As provas começam a partir das 9hs com as eliminatórias. As medalhas serão disputadas a partir das 16hs

Redação Torcedores
Textos publicados pela Redação do Torcedores.com.Contato: redacao@torcedores.com

Crédito: crédito: reprodução facebook

LEIA MAIS: GUIA TORCEDORES.COM ESGRIMA

 

SABRE

DIFERENÇA PARA AS OUTRAS DUAS ARMAS:

Dentre as três armas, o sabre é a mais ágil. É a menor e mais leve – tem cerca de 88 centímetros e pesa cerca de 500 gramas – e tem a lâmina mais flexível de todas as três. Qualquer toque acima da cintura do adversário já é considerado como ponto. Seus lados também são válidos para tocar o corpo do adversário.

esgrima sabre

crédito: reprodução facebook

 

SABRE FEMININO INDIVIDUAL

HISTÓRICO: o sabre feminino só começou a ser disputado em jogos olímpicos em 2004 e é dominado pelos Estados Unidos. Das doze medalhas, cinco foram para as americanas. A atleta Mariel Magunis foi bi-campeã olímpica em 2004 e 2008. Em 2008, inclusive, as americanas conquistaram ouro prata e bronze, algo que nunca havia acontecido até então. Em Londres, entretanto, as americanas não conquistaram medalhas. O ouro ficou com a Coreia do Sul, a prata com a Rússia e o bronze com a Ucrânia.

 

QUEM CHEGA FORTE AO RIO:

A Rússia chega com Sofiya Velikaya, campeã mundial em 2015, e ainda com mais duas atletas muito bem ranqueadas. A ucraniana Olga Kharlan, terceira colocada em Londres 2012, teve um início de ciclo olímpico primoroso, sendo campeã mundial em 2013 e 2014. Em 2016, é a vice-líder do ranking. A bi-campeã olímpica em 2004 e 2008 Mariell Zagunis (foto), dos Estados Unidos também vem bem em 2016 e promete brigar pelo tri campeonato. Fique atento ainda para a francesa Cecília Berder e a húngara Anna Marton.

crédito: reprodução facebook

crédito: reprodução facebook

MELHORES RESULTADOS NO ÚLTIMO CICLO OLÍMPICO DOS PRINCIAIS PARTICIPANTES:

Sofiya Velikaya (Rússia) -campeã mundial 2015, vice-campeã olímpica 2012 e líder do ranking mundial em 2016.

Olga Kharlan (Ucrânia) – campeã mundial em 2013 e 2014 e terceira colocada na Olimpíada 2012

Mariel Zagunis (EUA) – vice-campeã mundial 2014 e terceira colocada no ranking em 2016

Yekaterina Dyachenko (Rússia) – terceira colocada no mundial 2014 e vice-campeão mundial em 2013

Cecília Berder (França) -vice-campeã mundial 2015

Anna Marton (Hungria) – terceiro colocado no mundial 2015

Chen Shen (China) – terceira colocada no mundial 2015

Kim Jiyeon- (Coréia do Sul) – terceira colocada no mundial 2013 e campeã olímpica em 2012

Yana Egorian (Rússia) – terceira colocada no mundial em 2014

Irene Vecchi (Itália) – terceira colocada no mundial 2013

 

QUEM REPRESENTA O BRASIL E QUAIS SUAS CHANCES?

O Brasil terá Marta Baeza (foto), sexagésima quarta colocada no ranking mundial. A atleta disputará sua primeira edição de jogos olímpicos. Vem evoluindo bastante. De 2014 para cá, subiu quase setenta posições no ranking. Não tem resultados expressivos, entretanto. Se conseguir chegar entre as 16, será um grande resultado. As chances de medalha são baixas.

crédito: reprodução facebook

crédito: reprodução facebook

 

PALPITE DO GUIA:

Ouro: Olga Kharlan (Ucrânia) 

prata: Mariel Zagunis (EUA)

bronze: Sofiya Velikaya (Rússia)