Há 10 anos e sem entrar em campo, goleiro Bruno rescindia com o Corinthians

O dia 25 de agosto é marcado por um fato curioso há 10 anos no Corinthians. Exatamente nesta data, o goleiro Bruno deixava o Timão pouco menos de três semanas depois de ter sido apresentado ao clube do Parque São Jorge. Emerson Leão, então treinador, foi o responsável pela notícia da rescisão da ainda promessa que havia sido revelada pelo Atlético-MG.

Roberto Junior
Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.

Crédito: Foto: Reprodução TV

De acordo com o treinador da época, Bruno havia faltado em um treino do Corinthians sem notificar o clube e logo depois possivelmente desrespeitou o Alvinegro. Foi a gota d’água para a curta passagem do goleiro pelo Parque São Jorge.

“O Bruno faltou, não avisou e não foi autorizado a se ausentar de São Paulo. E parece que ele fez um comentário desrespeitoso para o clube. A diretoria leu e resolveu tomar uma decisão, mas me parece que já em Jarinu ele tinha conversado com o Edvar (Simões, diretor de futebol) e o supervisor, não foi uma novidade”, disse Leão, na época.

Bruno havia sido revelado e caído com o Atlético-MG em 2005. Após ser um dos destaques da equipe na Série B, a MSI, polêmica parceira do clube, resolveu investir na contratação do goleiro no segundo semestre de 2006 com um contrato válido até o final daquela temporada, fato que não aconteceu.

Emerson Leão tinha preferência e atuava com Marcelo no gol do Corinthians, que ainda contava com Johnny Herrera e Silvio Luiz no banco de reservas. Com pouco espaço mais a indisciplina, Bruno encurtou sua passagem pelo clube e nem sequer entrou em campo, onde voltou ao Atlético-MG e logo depois acertou sua ida para o Flamengo.