Torcedores – Notícias Esportivas

Em revanche de Londres 2012, Brasil estreia contra o “papa-títulos” do Handebol Feminino. Entenda

A seleção brasileira feminina de handebol faz sua estreia nos Jogos Olímpicos Rio 2016 contra uma adversária conhecida e bastante temida no cenário do esporte: a Noruega. O jogo acontece neste sábado, 6, a partir das 9:30hs. Confira abaixo o que esperar do confronto.

Redação Torcedores
Textos publicados pela Redação do Torcedores.com.Contato: redacao@torcedores.com

LEIA MAIS:

GUIA TORCEDORES.COM RIO 2016 – TODAS AS MODALIDADES

 

Em Londres 2012, o Brasil venceu quatro de seus compromissos e perdeu apenas um, foi líder do grupo e se classificou para a fase quartas de final na primeira colocação para enfrentar o quarto colocado do outro grupo. A Noruega, campeã olímpica até então, não vinha sendo dominante no torneio. Quando viram o Brasil classificado em primeiro, julgaram que seria mais fácil vencer as brasileiras e perderam propositalmente o último confronto para ficar na quarta colocação.

A estratégia quase deu errado. O Brasil virou o primeiro tempo das quartas-de-final com uma vantagem de 5 gols sobre as norueguesas. A falta de experiência em momentos decisivos atrapalhou as brasileiras, que acabaram cedendo a virada e foram derrotadas pro 21 a 19.

Quatro anos depois, o cenário é totalmente outro. Após a traumática eliminação, o Brasil conseguiu em 2013 um resultado histórico ao se sagrar campeão mundial na Sérvia, batendo as donas da casa na final em um ginásio lotado. Com o título, saiu um peso enorme da excelente geração brasileira que sempre pecava em momentos decisivos. Hoje, o time joga de uma maneira totalmente diferente e não se afoba mais quando o jogo aperta.

A Noruega é o time a ser batido nas Olimpíadas Rio 2016. Venceram o título Mundial de 2015 e são as atuais bicampeãs olímpicas, além de terem conquistado o título europeu em 2014. Com o técnico que foi eleito o melhor do mundo e um elenco de dar inveja, as norueguesas jogam um jogo extremamente coletivo, veloz e ainda contam com performances espetaculares de pelo menos 3 jogadoras. Tem Heidi Loke, a melhor pivô do mundo, Nora Mork (foto), uma das melhores meia-armadoras do mudo Karin insbro, uma goleira de dar inveja a qualquer time do mundo.

noramork noruega

Apesar do favoritismo, não são imbatíveis e o Brasil também foi campeão do mundo no ciclo e deve ser respeitado. As brasileiras são uma das candidatas a uma medalha na Rio 2016. O elenco não deve em nada ao dream team norueguês. A maioria das jogadoras brasileiras joga em grandes clubes europeus, sendo inclusive companheiras de equipe das norueguesas. As experientes Alexandra Nascimento e Eduarda Amorim (foto) já foram eleitas as melhores jogadoras do mundo. A armadora Ana Paula vive grande fase na seleção e foi campeã da principal competição de clubes no mundo ao lado da goleira Maysa, que brilhou na final ao pegar dois sete metros do time do Gyori, time húngaro onde jogam Duda e Heide Loke (uma das que errou a cobrança). Jogadoras importantes para o time do dinamarquês Morten Soubak voltam de lesão, como é o caso de Fernanda, Samira e até a própria Duda, que não disputou o Mundial de 2015 100% fisicamente.

duda brasil noruega

As duas equipes fizeram dois amistosos em São Paulo no ano passado e cada país ficou com uma vitória. A torcida será fundamental para o desempenho das brasileiras. Além disso, vale lembrar que apesar dos títulos nos últimos grandes torneios, as norueguesas não tem feito grande trabalho na fase de grupos, costumam “engrenar” nas fase finais. O Brasil, por outro lado, é líder dos grupos que disputa desde Londres 2012. Ponto positivo para a nossa seleção.