Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Liga Nacional confirma exclusão do Cascavel Futsal; clube promete recurso

Como na Chave Ouro do Paranaense, a equipe cascavelense disputava competição nacional usando o CNPJ da Fundeavel (Fundação de Esporte Amador de Cascavel), que foi extinto em maio deste ano por determinação judicial após conclusão de processo aberto após investigação iniciada em 2012.

Redação Torcedores
Textos publicados pela Redação do Torcedores.com.Contato: redacao@torcedores.com

Crédito: Crédito da foto: Reprodução/Site Oficial Liga Nacional de Futsal

LEIA MAIS:
AUTOR DO GOL QUE DEU A VITÓRIA AO BRASIL NO ÚLTIMO MUNDIAL, NETO ANUNCIA APOSENTADORIA DA SELEÇÃO
FUTSAL: GUARAPUAVA CONVOCA TORCEDOR PRA REDUZIR DÉFICIT

A decisão foi comunicada por meio de nota oficial no site da Liga Nacional de Futsal. Como na Chave Ouro do Paranaense, a exclusão do clube se converte em vitórias por 1 a 0 para os adversários nas duas últimas rodadas da competição: Orlândia e Corinthians, que aconteceriam no Ginásio da Neva em Cascavel.

Esse foi o segundo desdobramento de processo iniciado em 2012 pelo Ministério Público do Estado do Paraná, que culminou com a extinção do registro legal da Fundeavel que era utilizado pelo Cascavel Futsal para disputar competições oficiais. A diretoria, que já havia prometido recorrer da decisão, reafirmou a intenção e busca uma brecha para ser aceita de volta pela Federação Paranaense e pela Confederação Brasileira de Futsal ainda esse ano.

Um dos trechos do despacho de extinção da Fundeavel é onde a juíza Cláudia Spinassi da 4ª vara cível de Cascavel proclama que: “apurado eventual patrimônio da Fundação de Esporte Amador de Cascavel, determino a reversão para o Município de Cascavel”. Segundo a defesa do clube, esse poderia ser o caminho.

Vale ressaltar, no entanto, que a ACEA (Associação Cascavelense de Esportistas Amadores) já assumiu de forma oficial o legado desportivo da Fundeavel, com exceção da gestão do futsal, cuja caracterização como esporte amador era um dos questionamentos do Tribunal de Contas do Estado, que junto da denúncia do MPEm embasou parte do processo que gerou o problema atual para a Serpente Tricolor.