Opinião: As Olimpíadas se vão. A saudade fica

As Olimpíadas Rio 2016 terminaram ontem. O maior evento esportivo do mundo esteve em solos brasileiros, e muito bem acolhido pela cidade do Rio de Janeiro, envolvendo não somente os cariocas, mas todo o Brasil.

Jordana Amaral
Colaborador do Torcedores

Crédito: Crédito da foto: Fernando Soutello/Rio 2016

LEIA MAIS:
BOLT, PHELPS, SERGINHO E MUITO MAIS! 8 ATLETAS QUE SE APOSENTARAM NA RIO 2016

Antes receosos do que seriamos capazes de fazer, todo o mundo e os próprios brasileiros ficaram surpresos quando viram a cerimônia de abertura, porque ali era o começo de duas semanas inesquecíveis para o esporte mundial. Toda desconfiança caiu por terra. A abertura nos deixou sem fôlego.

E as emoções não pararam por aí. No decorrer das competições, vimos imagens e momentos marcantes, histórias sendo feitas e refeitas, atletas caindo e levantando. Se tivéssemos uma escolha, escolheríamos ver e viver tudo isso novamente.

Ao longo desse tempo, os sentimentos de euforia, frustração, alegria, decepção e orgulho nos abasteceram e nos deram energia o suficiente para acordar cedo e acompanhar nossa modalidade preferida, ou dormir tarde para não perder nenhum momento das Olimpíadas. Momento esse que passou voando.

Depois de tantos sentimentos, o que ficou foi a saudade. Saudade de cantar o hino, saudade de torcer, saudade de gritar, saudade de chorar, saudade de ouvir histórias, saudade de contar histórias e saudade de ver todas as histórias sendo feitas.

Saudade é um sentimento que hoje nos define, pois tudo que o antecedeu foi perfeito, incrível, inesquecível, e durou o suficiente para deixar um buraco em nossos corações.

Obrigada, Rio 2016.